A religião move minhas montanhas

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Esses dias estava passando pela igrejinha que tem aqui na minha cidade. Parei bem em frente a ela, mas não para rezar ou me confessar. Na verdade parei porque vi uma grande quantidade de jovens lá dentro. Aproximei-me mais e fiquei tentando descobrir o porque daquele número de jovens ali dentro. Qual a razão, e como a igreja/religião faz para conseguir trazer tanta gente para trabalhar por ela, sem pagar um tostão.

É sério! Tenho um site na internet, e nunca na vida consegui fazer alguém trabalhar para mim de graça, exceto uma putinha que fiz tão gostoso, que ela nem quis pagamento. Mas fora isso, sempre tive que pagar pelo o que quero, seja através da contratação de um profissional da área, ou pagando um cinema e um jantar.

Sabe, ver aquele monte de jovens lá dentro, meio que mexeu comigo, não para me tornar um cristão vigoroso que vai sempre a missa/culto, mas para compreender o que eu poderia fazer pra conseguir pessoas trabalhando para mim de graça. Veja, o padre recebe a côngrua, uma remuneração mensal para cobrir as despesas, as freiras devem receber algo também. Mas e todo aquele pessoal que ajuda na missa. E aquele pessoal que apoia o pastor. Tenho certeza que muitos não recebem, quer dizer, recebem sim, a gratidão de Deus.

Tá bem, já sei que você vai vir com o discursinho de que não é a religião que faz as pessoas irem lá e trabalhar de graça, e sim o poder de Deus que habita os coraçõezinhos dessas criaturas indefesas que só querem paz. Amém! Só que não, deve existir algo por trás, para fazer aqueles jovens estarem aqui, nessa igrejinha que se encontra na minha frente. Ou talvez, eu que esteja pensando errado.

Talvez a razão para que a religião atraia tantas pessoas para trabalhar por elas, seja o medo. Isso mesmo, mas não o medo de ser assaltado ou alguma dessas fobias. Mas sim o medo de ser punido no futuro, e que Deus não o recompense com a vida eterna, e que ao morrer ele vá para o inferno. O medo do desconhecido que parece tão conhecido.

Pode ser que isso realmente explique, mas sinceramente não sei. Acredito que podemos aprender com a religião nesse sentido, como fazer tanta gente ficar engajada com ela, sem pagar um tostão por isso, ou sem dar nenhum benefício, já que o beneficio viria só quando morresse, ou em formas de sinais que não temos certeza se é obra do todo poderoso.

Com esse pensamento eu deixo a igreja, e volto ao meu carro para ir em direção a casa de um amigo, que me espera para um cervejinha, e um belo jogo de futebol na televisão. Deixo assim aquelas “crianças”, com uma tristeza no rosto dizendo: “pobres coitados”. Ao sair, um jovem que estava no final da igreja olha para fora e me vê. Ainda com os olhos atentos sussurra algo, que claramente eu entendo: “pobre homem”.

E partimos, cada um em sua direção.

3 Comentários


  1. Sem ofensa mas, na minha opiniao em relacao ao comentario do artigo”a religiao move as minhas montanhas” entendo que tu deves descobrir a tua curiosidade e ir la naquela igrejinha pra saber o que e que faz com que aqueles jovens trabalhem de graca e depois nos mostre este segredo

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *