Quem são os sem religião, mas que acreditam em Deus?

Quem são os sem religião, mas que acreditam em Deus?

Tempo de leitura: 3 minutos

As pessoas que não acreditam em nenhuma religião estão cada vez mais crescendo no mundo. Acredita-se que hoje em dia cerca de 16% da população (1,1 bilhão de pessoas) não possua uma religião. Entre esses estão caracterizados os ateus, agnósticos, e muitos outros, formando um grupo conhecido como Irreligião, que é a ausência, indiferença ou não prática de uma religião.

No Brasil esse número também é alto, nos anos 60 era uma categoria insignificante, fazendo parte de apenas 0,5% da população. Mas de lá para cá tudo mudou, e pelos dados do POF do IBGE, os sem religião somavam 5,1% em 2003 e 6,7% em 2009. São quase 13 milhões de pessoas.

Dentre esse número um grande grupo está crescendo, que são os Deístas, que acreditam em Deus e que ele existe, mas não seguem nenhuma religião, seja o catolicismo, protestantismo, mormonismo, testemunhas de Jeová, ou qualquer outra religião. Eles acreditam em Deus e isso é suficiente. Acreditam que Deus é um ser superior que criou o universo e tudo mais, mas preferem não seguir normas pre-estabelecidas de uma doutrina religiosa.

Meu objetivo aqui é debater a religião, seja você de que religião for, e o objetivo aqui não é chegar a nenhuma conclusão, nem ao menos fazer você acreditar nas minhas convicções. A intenção é simples e puramente debater a religião, somente debater e discutir. É óbvio que cada um coloca suas convicções no que fala, e por isso deixo bem claro que sou um Deísta, porém respeito todas as religiões, e é por isso que irei falar de muitos pontos de cada uma delas, os dogmas, as regras, os preceitos, e tudo que aborda uma instituição religiosa.

A religião é um assunto muito complicado, e fica ainda mais complicado quando a gente não permite que possamos discutir o assunto. Dizem por aí que religião e gosto não se discutem, e estamos vendo na TV e nos blogs que sim, gosto pode se discutir, e não que isso vá mudar seu gosto, mas vamos discutir? Essa é a ideia com a religião também, discutir sem que seja necessário chegar a um denominador comum ou que se mudem as convicções de alguém.

Meu papel aqui é apenas de servir como intermediário dessa conversa gostosa, em que vamos conhecer um pouco mais sobre os outros, e por que eles optam por seguir ou não uma religião. O que há por trás de alguém que decidiu pertencer a Igreja Católica Apostólica Romana? Será que foi a família, os amigos, as crenças pessoais, ou outro motivo.

Quem é os sem religião, mas que acreditam em Deus? Particularmente não gosto de ser chamado de Deísta, não que não seja, o problema é que tudo relacionado à religião que colocamos um nome parece que também é uma religião. Os ateus poderiam ser uma religião, pois religião é uma forma de pensar no sobrenatural, e os ateístas apenas não acreditam no sobrenatural, e isso é uma forma de acreditar em algo.

Por isso não gosto da palavra Deísta, pois não tenho uma linha correta de pensar, não é algo que segue um fluxo de ideia estabelecido. Acredito que pensar livremente seja a melhor maneira, principalmente para falar de religião. Não importa se você é católico ou evangélico, é necessário que pense um pouco e não responda tudo com uma mente bem fechada. É como na situação de por que pessoas boas morrem, e alguém simplesmente dizer porque Deus quis. Não é assim, é preciso que venhamos a pensar e imaginar uma série de possibilidade.

Vamos discutir religião? Vem comigo!

12 Minutos

117 Comentários


  1. Fernando, excelente colocação.  Eu simplesmente acredito em Deus, e pronto. O fato de eu não está seguindo nenhuma religião não significa que eu vá para o inferno, infelizmente muita gente pensa que os que não tão na igreja todos os dias são pecadores.

    Ótimo post!

    Responder

    1. Yure,
      Realmente, mas o estranho de ir para uma igreja é que caímos naquele problema, qual é a certa. Se eu foi para a igreja católica os evangélicos dirão que vou pro inferno, e vice-versa. Então a questão é quem está certo? Qual a religião correta? São perguntamos que pretendemos responder num futuro breve.

      Responder

      1. Nao se trata de estar certo errado amigo .No meu caso nao possuo religiao pelo menos no momento mas procuro buscar tudo o que me aproximar do criador.A palavra mais clara, o pemsamentl mais elevado e o gesto mais nobre.O amor é tudo o que existe ,Jesus morreu porque se recusou a negar esta máxima .Vivemos numa ilusao tao realista para nos conhecermos experimentalmente ja que conceitualmente nos conhecemos como luz bondade etc….

        Responder

        1. Excelente Pensamento. Eu estou em uma igreja evangélica a 15 anos, mais nos últimos meses venho refletindo muito sobre isso.
          Hoje posso dizer que creio em um formador e Criador de todas as coisas, é que requer que sejamos puro, não santo. Uma pessoa pura é diferente de uma pessoa santificada.

          Responder

        2. Eu tô sem religião a cinco anos e tô muito feliz assim é agradeço
          a Deus por isso

          Responder

      2. Yure,
        Muito interessante a sua pergunta. Gostei.
        Vou te ajudar a entender da seguinte forma.
        Pense que Deus é o objetivo e acreditar Nele e ser como Ele é o que conta, e a igreja é o lugar onde vc também pode encontra-lo, é o caminho que te levará a ele, por exemplo, quero ir a praia… O caminho que irei usar psra chegar a praia não importa, desde que eu chegue a praia. Entende? Nesse caso a praia é Deus, o caminho são as religiões.
        A melhor religião a se escolher é aquela que te torna uma pessoa melhor e mais feliz. O resto não importa, desde que vc encontre seu objetivo que é Deus e se realize.

        Responder

        1. DEUS é Onipresente, Onisciente e Onipotente.
          Concordo com o Yure , não precisa ser de uma religião para chegar até Deus.

          Na verdade acho que toda religião tem algo bom para se tirar. mas prefiro não me limitar a uma doutrina e visão de uma só.

          Vejo muitos gritando aleluia , ô glória , orando por horas e no outro lado da rua uma irmão passando fome , um irmão doente .

          Responder

          1. Concordo!Muita gente falando de Deus e desejando mal ao próximo,eu vejo isso aqui perto de mim e sinceramemte fico perplexa!Falta amor isso sim!


          2. Mais e no meu caso.. o que vcs acham..
            Eu acredito em boa parte do que a biblia conta principalmente no novo testamento . Mas o q na verdade me intriga são as doutrinas e normas desnecessaria que homens criam dizendo que Deus os deu tal direção. Nisso eu desacredito totalmente e nunca mais vou me deixar ser marionete do que tais querem! Eu nao vejo assim … nesse caso escolhi ter a Deus dentro de mim só eu e ele sem nenhuma regra q homem impõe.


        2. Bom dia! Encontrei esta página agora e tento entender o que eu sou no momento, quer dizer, o que eu sigo, pois estou frequentando religiões diferentes e me sinto super bem indo nas três. Católica que sempre frequentei, Assembleia de Deus aqui do lado da minha casa e Kardecista que gosto muito de ir nos finais de semana. Se eu sinto Deus presente nessas religiões e estão me fazendo super bem apesar de não concordar totalmente em certos pontos de cada uma e mesmo elas tendo pensamentos às vezes diferentes, sinto que tem o mesmo propósito. Buscam a fé e o amor entre os homens. Então o que eu seria neste momento? Obs: Não quero deixar de ir nelas e não quero ter que escolher uma só).

          Responder

          1. Cristiane, assim como eu você pode definir-se como Cristã! Simples assim! E continue freqüentando as três pois todas estão lhe fazendo bem!


          2. Eu tinha uma fé muito Grande Em Deus …Em Cristo E Maria…Fui Espírita 25Anos…Mas sofri uma Decepção muito Grande…E fiquei sem Chão…. Hj vou a Igreja …Tenho 28Anos e parece que minha fé ta muito abalada.. Era Super positivo…. De maneira que o que era pra dar errado muitas vezes dava certo….Hj me sinto Fraco Espiritualmente….. Difícil para mim


          3. Bianca , me identifico com vc…sou católico e acredito em Deus… Não consigo comprar ou adotar doutrinas criadas pelo homem, ou adotar os rituais praticamente impostos pelas igrejas de modo geral…. mas acho importante ter e seguir uma religião,tirar tudo que me serve do que ouço e deixar de lado o que eu não concordo…porém , estar dentro de uma igreja nos faz crescer, pois há sabedorias que nos acrescenta muita coisa e nos faz bem…Não precisamos adotar tudo que ouvimos ou que nos é colocado….e contudo simplesmente procurar ser pessoa do bem… Quando estou fraco espiritualmente , por algum problema…, faço uma oração bem profunda, mesmo que por alguns segundos e sinto as coisas melhorarem e um conforto muito grande… Pra mim, as pessoas que se deixa levar por tudo que a igreja reza ou prega, são pessoas na verdade, fracas de espírito e sem opinião própria…


          4. Exelente colocação a sua Cristiane. Eu também me vejo na mesma situação que a sua, por ter em minha família pessoas com religiões diferentes e convivo com todos numa boa , mas não consigo escolher uma religião pra mim. Acho que o que devemos ter é o respeito para com as religiões , absorvendo o que é proveitoso e descartando aquilo que achamos que é danoso.


        3. então se eu não tiver uma religião, mesmo eu acreditando em Deus, eu não chegarei até ele??

          Responder

        4. Moça eu frequento uma igreja evangélica, mas não sigo os padrões dela, sou batizada e tudo, porém não respeito as regras, acho errado oque faço em estar na igreja e n seguir mas também não acho certo o conceito deles , não posso beber, sair pra festas, ter relações sexuais antes do casamento, tatuagens etc, não acho que fazendo isso iria para o inferno, não acho que isso seja pior que os 7 pecados capitais, ou como julgar, matar, roubar, inveja.. ou até mesmo em dizer que um homossexual vai pro inferno só pela escolha sexual dele, é muita controvérsia eles não seguem a bíblia toda, apenas pegam um trecho e julgam ser pecado isso é aquilo, por exemplo no trecho que fala que é pecado ser homossexual também fala que não pode comer carne de porco, não pode cortar o cabelo, a barba e várias outras coisas, mas a metade eles fazem e só falam que o homossexualismo é pecado, meio hipócrita não? Relevam algumas coisas mas outras são abomináveis, me nego a acreditar que um Deus bondoso e misericordioso, olharia pra essas coisas ao invés do coração, da bondade, como lidamos com nossos semelhantes, ajudando as pessoas, acho que isso é a prioridade de tudo, fora o preconceito com outras religiões eles acham que só a religião deles são a certa, sendo que Deus é um só, a única diferença é que Deus é nomeado diferente em algumas, oque importa é a fé, por isso acho que não pertenço a uma religião e pretendo sair da evangélica só não sai até hoje porque meus pais meio que me “obrigam” falam que não vou sair p festa se eu não for.. pois é.. pra ver como é lindo religião as pessoas ficam alienadas e nem se importam com oque seus filhos pensam, enfim é isso.
          #pas

          Responder

          1. Bem, como vc disse, já não acredita mais nessa religião. Então, para vc ser coerente consigo mesma, deve procurar uma outra que se adeque à sua forma de pensar. Se vc ainda é menor de idade e depende financeiramente dos seus pais, então não há muito o que fazer ainda. Nesse caso, é melhor evitar o conflito e esperar até vc ficar independente financeiramente. Mas, se já consegue se sustentar, então mostre aos seus pais, com carinho, claro, que vc não se adéqua mais àquela religião. E eles, mais cedo ou mais tarde, terão que aceitar e respeitar sua decisão. E vc também vai respeitar a religião deles. Mas, com certeza, vai levar um tempo. Os evangélicos têm uma visão muito dogmática.


          2. Olá, Tatiane!
            Quantos anos você tem?
            Identifico-me com a sua história, pois, passei por isso tudo igual ou pior se você quiser podemos conversa e quem sabe lhe orientar como agir nessas circunstâncias.
            Meu Instagram: lrafaelarodriguesl
            Fica bem!


          3. Siga apenas: O caminho ,a Verdade e a Vida ! E esse é o único e verdadeiro Caminho que ,te leva a Deus ..seu nome e ,Jesus Cristo ;aquele que desceu da sua gloria e viveu entre nös.
            Aquele que veio nós trazer o evangelho da salvaçao eterna para a tua alma
            Aquele que distribuiu paz , pao, amor , cura , libertasão…sem cobrar um tustaø .
            Aquele que foi pregado em uma cruz e…sö porque te amou ; se entregou por ti ..e morreu em teu , em nosso lugar .
            Aquele que jamais pecou ,cordeiro imaculado de Deus , Deus conosco.
            Aquele que Carregou sobre si todoas as nossas dores e pecados..
            Aquele que vive e reina a direita de Deus Pai e intercede por mim e por ti .
            Aquele que disse que jamais te deixaria só.
            Aquele que da parte do Pai , enviou o teu Santo Espirito ,para te ajudar , dirijir e consolar .
            Aquele que esta ,agora mesmo! De braços aberto,pra te dizer que : ….ele nunca te abandonou , nunca se esqueceu de ti , e te ama com amor incomparável ; amor de morte de cruz , amor que te envolve em manto de luz.
            A verdadeira religião, segundo Deus , é: cuidar dos orfãos e viúvas ,é fazer o bem , amar o próximo …
            Nada pode separar vc do amor de Deus que esta em Cristo Jesus . Grande abraço.


    2. Palavras extraordinárias Yure Santana eu concordo cada pessoa tem o direito de escolha e formar sua opinião afinal de conta ninguém é obrigado a seguir religião

      Responder

      1. Amados .Se pegamos a história dá criação dá humanidade. Teremos um entendimento esclarecido,A Mesopotâmia é o berço dá humanidade,Este povo tinha religião,ou eles eram politeístas..

        Responder

    3. Olá Yure Santana! Eu creio em Deus e tbem nas escrituras, apesar de achar que a bíblia com o tempo tem sido modificada pelo sistema religioso. Eu não tenho religião, não frequento templos simplesmente por não crer na pregação manipuladora desse sistema. O inferno de fogo (tortura eterna) é uma das mentiras pregadas nas igrejas para escravizar os fiéis.

      Responder

      1. O nome CATÓLICA = significa UNIVERSAL, ou seja, Cristo veio para todos os povos, judeus e não-judeus, pagão e batizados, presos e livres… Nós é que somos a primeira, a única e verdadeira igreja UNIVERSAL.
        O nome APOSTÓLICA = significa que fomos edificados sobre os apóstolos de Cristo e deles também recebemos muitos ensinamentos. Sempre quando um apóstolo morria, para substituí-lo, os apóstolos elegiam outro para assumir a “vaga”. Veja isso em: Atos do Apóstolos capítulo 1, versículo de 15 a 26, onde Matias é eleito para ocupar a vaga de Judas Iscariotes – o traidor – que suicidou-se após trair Jesus.
        O nome ROMANA = significa que nossa igreja está sediada em Roma, cidade onde Pedro, o chefe primeiro da igreja estabeleceu-se alguns anos após a morte de Cristo, e de lá governou a igreja.

        A Igreja Católica Apostólica Romana surgiu em Cristo. Portanto, o fundador desta igreja é o próprio Jesus que, em Pedro, firmou toda a sua igreja: “E eu te declaro: Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a MINHA Igreja, e as portas do inferno jamais poderão vencê-la. Eu te darei as chaves do reino dos céus: Tudo o que ligares na terra, será ligado no céu. e tudo o que desligares na terra, será desligado nos céus.” (Mateus 16,13-20) “Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a que não perdoardes os pecados, ser-lhes-ão retidos.” (João 20, 21-13)

        Com estas palavras, Cristo inicia SUA igreja escolhendo Pedro para liderar todos os outros apóstolos e dá à SUA igreja o poder supremo de perdoar e não perdoar os pecador (Daí porque existe a confissão onde o padre exerce esta ordem de Cristo), o poder de ligar e desligar. Pedro, portanto, foi o primeiro chefe da igreja, o primeiro líder dos Apóstolos: o primeiro PAPA!

        Foi à igreja católica reunida no cenáculo que Jesus enviou o seu Espírito Santo (Atos dos Apóstolos 2, 1-13).
        Com o passar dos tempos, a igreja foi se difundindo entre os países não-judeus, através dos apóstolos que saíram evangelizando. O tempo foi passando e heresias foram surgindo e cismas também. Existiram inúmeras separações entre os católicos, sendo que a de maior importância foi o cisma bizantino em 1054, onde solidificou-se oficialmente a separação de alguns cristão, formando assim a ortodoxia.
        O título de apóstolo apenas ficou reservado para os primeiros. Os demais eleitos foram chamados Bispos, sendo que o bispo que ocupa o lugar de Pedro, lugar de chefia a igreja, é chamado Papa. Os discípulos são agora chamados presbíteros(padres) e àqueles que se dedicam ao serviço consagrado à igreja são chamado diáconos. E assim é até hoje.
        Portanto, o PEDRO de hoje é o papa João Paulo II que foi eleito em 1978, após a morte de seu papa antecessor (João Paulo I e Paulo VI).

        No mundo inteiro existem algumas igreja que se intitulam CATÓLICAS, mas a única fundada pelo Cristo é a Católica Apostólica Romana. As outras são:
        – Igreja Católica Anglicana = é a igreja da Inglaterra, surgiu quando o rei da Inglaterra, Henrique VIII quis divorciar-se de sua esposa, Catarina de Aragão, e casar-se com Ana Boleyn e o papa não permitiu, como até hoje não é permitido, então o rei e o parlamento Inglês resolveu se desligar da Santa Sé Romana, em novembro de 1534, e formar uma igreja para o seu país onde fosse permitido o divórcio. O líder a igreja anglicana é o rei ou a rainha da Inglaterra (atualmente Elisabete II).
        – Igreja Católica Brasileira = é uma verdadeira esculhambação. Nessa igreja é permitido casamento homossexual, não há celibato dos padres, é permitido o divórcio…
        – Igreja Ortodoxa – genericamente chamamos todas as igrejas cristãs do oriente que receberam a fé diretamente dos Apóstolos e, através dos diversos cismas e das várias heresias, separaram-se da igreja Católica Romana. Muitas facções destas igrejas já retornaram sua união com a igreja romana e outras estão em negociação. Essas igrejas são, portanto, as que mais fatos em comum possuem coma igreja católica apostólica romana.

        Nossa igreja, a igreja Católica Apostólica Romana, tem como fonte de fé duas coisas: a sagrada escritura e a sagrada Tradição. A sagrada escritura é a Bíblia, e a sagrada tradição é todo o ensinamento deixado pelos primeiros apóstolos e pelos primeiros cristãos, como também as ensinamentos provindos dos concílios e documentos papais.

        As demais igrejas existentes no mundo têm um fundador humano, um pecador talvez maior que eu e você. Nossa igreja foi a única deixado por Jesus Cristo: o Deus filho:

        – A Igreja Luterana foi fundada por Martinho Lutero em 1517 na Alemanha
        – A igreja Católica Anglicana (ou Episcopal) foi fundada pelo rei Henrique VIII da Inglaterra em 1534.
        – A igreja foi fundada por John Knox na Escócia em 1560.
        – A igreja Batista foi fundada por John Smyth no ano de 1611 na Inglaterra
        – A igreja Metodista por John Wesley em 1738 na Inglaterra
        – A igreja dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons) foi criada por Joseph Smith em 1830 nos Estados Unidos.
        – A igreja Adventista por William Miller em 1831 nos EUA.
        – Os Testemunhas de Jeová por Charles Russel em 1874 nos EUA.
        – A Assembléia de Deus (ou Pentecostal) surgiu em 1914 nos EUA por vários ministros protestantes.
        Como você pode ver, é só ler a Bíblia que você verá que somos a única igreja de Deus.

        Sempre, desde o início dos tempos, Deus promete as coisas à humanidade e faz milagres para provar que o que está falando é verdade. Portanto, os milagres são a ASSINATURA DE DEUS. Para que um determinado acontecimento seja considerado milagre, ele deve ser estudado pela igreja e pela ciência (Medicina, Parapsicologia, Física, Química, Psiquiatria…), pois muitos fenômenos que são ditos milagres, na verdade, não passam de meros fenômenos extra-normais que a parapsicologia explica plenamente ou então é pura fraude.

        Por isso devemos ser cristão que QUESTIONAM, que não devem acreditar em tudo que ouvem. Devemos fazer como MARIA que foi buscar as provas: foi ver com os próprios olhos a ASSINATURA DE DEUS: Quando o anjo na anunciação disse que ela iria conceber, ela logo disse que não conhecia homem (era virgem) e que tal promessa nestes termos era impossível. Daí o anjo mandou-a buscar a ASSINATURA DE DEUS dizendo que ela fosse ver sua prima Isabel que era estéril e que na velhice estava grávida. Maria saiu às pressas, como diz o evangelho, para casa de Isabel para ver a ASSINATURA DE DEUS. (Veja essa passagem em Lucas 1,26-47).

        A igreja Católica é a única que têm os verdadeiros MILAGRES, a única que tem a ASSINATURA DE DEUS. Temos mais de 2.000 cadáveres incorruptos, ou seja pessoas que morreram e que os seus corpos estão até hoje sem sofrer decomposição sem uso de nenhum substância fomolizante. Exemplo: Santa Clara, Francisco de Assis, o coração de São Vicente de Paulo…

        A igreja Católica é a única que tem milagres eucarísticos, dentre os milhares, o mais famoso é o de LANCIANNO, onde na cidade de Lancianno o padre, ao consagrar a eucaristia duvidou e, no mesmo instante a hóstia tornou-se carne visível e o vinho tornou-se sangue visível. Isso ocorreu há mais de 1.300 anos e, na época, foi retirado um pedaço da carne e um pouco do sangue e foram levados à análise biológica que constatou ser carne humana do músculo do coração e sangue humano tipo AB, todos com células vivas. Hoje, depois de 13 séculos esse milagre está guardado numa urna na Itália e, em recentes análises ao microscópio, pode ser constatado que a carne está dura como uma pedra (chegou a quebrar a lâmina do micrótomo – que é o aparelho que faz cortes finíssimos do tecido para levar ao microscópio) e o sangue se coagulou em 5 grumos de diferentes tamanhos, também hoje endurecidos, e , nesta mesma análise, depois de 13 séculos decorridos, foram novamente encontradas células do miocárdio ainda VIVAS e células sanguíneas VIVAS. Está aí a ASSINATURA DE DEUS!

        Por isso, somos a única igreja de Cristo!

        Responder

          1. Matheus você não esta confuso, quem esta confuso é o Geraldo (fanático doente). Deve ser uma marionete de um padre.


          2. Ele pelo jeito é capaz de atrocidades em nome da religião que acredita (lavagem cerebral) ele desconsidera totalmente todas e tudo no mundo sendo a opinião dele a unica verdade. Ai começa o fanatismo, esquece-se o amor ao proximo e todos os ensinamentos que ele faz questão de exaltar.


          3. Oi Mateus,este moço que elevou tanto o catolicismo, (tadinho, eu até entendo porque eu também fui assim antes de ser liberta para a verdade), o que ele sabe é o que os ensinamentos mentirosos de toda ïgreja¨, (eu pus igreja entre aspas porque a igreja são pessoas e não locais) esse texto de Mateus que ele cita, Mateus :16;18 quando Jesus cita; tú és Pedro e sobre ESTA pedra, quando ele falou o pronome ESTA pedra, ele estava se referindo a ele mesmo e não a pedro, o nome Pedro, significa pedra menor, Jesus estava frente a frente com Pedro e mostrou a ele, que sobre ESTA pedra, que é o próprio Cristo, edificaria a igreja dele, jamais a igreja de Cristo seria edificada em homens, Cristo é a pedra principal a pedra de esquina,agora, os espertinhos (lideres religiosos)que querem tirar proveito próprio em cima da ignorancia de muitos a qual eu também fui por muito tempo, torce todos o ensinamento da bíblia para ter poder e domínio sobre as pessoas que não correm atrás da verdade e se conformam com tudo que ensinam, o maior e melhor professor fiel e verdadeiro é o Espírito Santo, faça como Jesus ensinou, no seu quarto busque uma intimidade com ele e desenvolva um relacionamento pessoal , sem intermediário com o papai do céu. um abraço a todos, espero ter contribuido


        1. Por isso, que existe mais e mais pessoas que se afasta das igrejas, porque CRISTO era JUDEU e não deixou igreja nenhuma fundada ou autorizada!

          Leia o artigo abaixo e tirem suas próprias conclusões:

          Pergunta: “Qual foi a primeira igreja, a igreja original? É a primeira igreja, a igreja original, a verdadeira igreja?”

          Resposta: A capacidade de desenhar uma linha no tempo que volte ao passado até a “primeira igreja” através da “sucessão apostólica” é um argumento usado por várias igrejas diferentes para afirmar que sua igreja é “a única igreja verdadeira”. A Igreja Católica Romana faz tal alegação. A Igreja Ortodoxa Grega faz esta alegação. Algumas denominações protestantes fazem esta alegação. Alguns dos cultos “cristãos” fazem esta alegação. Como saberemos que igreja é a correta? A resposta bíblica é: isto não importa!

          A primeira igreja, seu crescimento, doutrinas e práticas foram registradas para nós no Novo Testamento. Jesus, assim como Seus apóstolos, previram que falsos mestres se levantariam, e sim, é visível em algumas epístolas do Novo Testamento que estes apóstolos tiveram que lutar contra falsos mestres ainda no passado. Ter um pedigree de sucessão apostólica ou ser capaz de encontrar as raízes de uma igreja no passado, na “primeira igreja”, não é algo que esteja dito em lugar algum das Escrituras como um teste para ser a verdadeira igreja. Mas as Escrituras registram repetidas comparações entre o que um falso mestre ensina e o que a primeira igreja ensinava. Se uma igreja é a “igreja verdadeira” ou não, é determinado se compararmos seus ensinamentos e práticas com os da igreja do Novo Testamento, como registrado nas Escrituras.

          Por exemplo, em Atos 20:17-38, o Apóstolo Paulo tem uma oportunidade de falar aos líderes da igreja na grande cidade de Éfeso uma última vez, face a face. Nesta passagem, ele os adverte que falsos mestres não somente surgirão entre eles, mas também DENTRE eles (versos 29-30). Paulo não expressa o ensino de que eles deveriam seguir a “primeira” igreja organizada como segurança para a verdade, mas ele os encomenda a segurança de “Deus e à palavra de Sua graça” (verso 32). Por esta razão, a verdade poderia ser determinada ao se depender de Deus e da “palavra de Sua graça” (ou seja, as Escrituras; veja João 10:35).

          Esta confiança na Palavra de Deus, ao invés de seguir certos “fundadores” individuais, é vista mais uma vez em Gálatas 1:8-9, onde Paulo afirma: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.” Por isto, a base para se diferenciar a verdade da mentira não é baseada em QUEM está ensinando, “nós mesmos ou um anjo do céu”, mas se é o mesmo evangelho que eles já receberam: e este evangelho está registrado nas Escrituras.

          Outro exemplo desta confiança na Palavra de Deus é encontrado em II Pedro. Nesta epístola, o Apóstolo Pedro está em luta contra falsos mestres. Fazendo isto, Pedro começa mencionando que nós temos “mui firme palavra” para confiar, mais do que até ouvir a voz de Deus dos céus como aconteceu na transfiguração de Jesus (II Pedro 1:16-21). Esta “mui firme palavra” é a escrita Palavra de Deus. Pedro diz a eles novamente para serem cuidadosos “das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como apóstolos do Senhor e Salvador” (II Pedro 3:2). Tanto as palavras dos santos profetas quanto os mandamentos que Jesus deu aos apóstolos estão registrados nas Escrituras.

          Como determinamos se uma igreja está ensinando a correta doutrina ou não? O único padrão infalível que temos, segundo as Escrituras, é a Bíblia (Isaías 8:20; II Timóteo 3:15-17; Mateus 5:18; João 10:35; Isaías 40:8; I Pedro 2:25; Gálatas 1:6-9). A tradição faz parte de qualquer igreja, mas esta tradição deve ser comparada com a Palavra de Deus, sob pena de ir contra o que é verdadeiro (Marcos 7:1-13). Mesmo sendo verdade que os cultos e às vezes as igrejas ortodoxas torçam a interpretação das Escrituras para apoiar suas práticas, as Escrituras, quando tomadas em contexto e estudadas com fé, são capazes de guiar-nos à verdade.

          A “primeira igreja” é a igreja que está registrada no Novo Testamento, especialmente no Livro de Atos e nas Epístolas de Paulo. A igreja do Novo Testamento é a “igreja original” e “a igreja verdadeira”. Podemos saber disto porque ela está descrita, em grandes detalhes, nas Escrituras. A igreja, como registrada no Novo Testamento, é o padrão de Deus e base para Sua igreja. Sobre esta base, vamos agora examinar a alegação dos católicos romanos de que constituem a “primeira igreja”. Em nenhum lugar do Novo Testamento encontraremos a “única igreja verdadeira” fazendo qualquer das seguintes coisas: orando a Maria, orando aos santos, venerando Maria, submetendo-se ao papa, tendo um sacerdócio selecionado, batizando um bebê, observando as ordenanças do batismo e a Ceia do Senhor como sacramentos ou passando a autoridade apostólica a sucessores dos apóstolos. Todos estes são elementos centrais da fé católica romana. Se a maioria dos elementos centrais da Igreja Católica Romana não são praticados pela Igreja do Novo Testamento (a primeira e única igreja verdadeira), como então pode a Igreja Católica Romana ser a primeira igreja? Um estudo do Novo Testamento claramente revelará que a Igreja Católica Romana não é a mesma igreja descrita no Novo Testamento.

          O Novo Testamento registra a história da igreja desde aproximadamente 30 d.C. a aproximadamente 90 d.C. No segundo, terceiro e quarto séculos, a história registra várias doutrinas e práticas católicas romanas entre os cristãos primitivos. Não é lógico que fosse mais provável que os cristãos primitivos entendessem o que os apóstolos queriam realmente dizer? Sim, é lógico, mas há um problema. Os cristãos do segundo, terceiro e quarto séculos não eram realmente os primeiros. Repetimos, o Novo Testamento registra a doutrina e prática dos primeiros cristãos… e o Novo Testamento não ensina o Catolicismo Romano. Qual é a explicação para que a igreja do segundo, terceiro e quarto séculos tivesse começado a mostrar sinais do Catolicismo Romano?

          A resposta é simples: a igreja do segundo, terceiro e quarto século (e em diante) não possuía o Novo Testamento completo. As igrejas tinham partes do Novo Testamento, mas o Novo Testamento (e a Bíblia completa) não estava comumente disponível até depois da invenção da imprensa em 1440 d.C. A igreja primitiva fez o melhor que pode em passar adiante os ensinamentos dos apóstolos através da tradição oral, e através de uma disponibilidade extremamente limitada da Palavra na forma escrita. Ao mesmo tempo, é fácil ver como as falsas doutrinas puderam se infiltrar em uma igreja que tinha acesso apenas ao Livro de Gálatas, por exemplo. É muito interessante observar que “A Reforma Protestante” se seguiu logo depois à invenção da imprensa e tradução da Bíblia nas linguagens comuns às pessoas. Uma vez que as pessoas começaram a estudar a Bíblia por si mesmas, tornou-se muito claro quão longe a Igreja Católica Romana tinha se afastado da igreja descrita no Novo Testamento.

          As Escrituras nunca mencionam “que igreja veio primeiro” como a base para determinar qual a “verdadeira” igreja. O que elas ensinam é que se deve usar as Escrituras como o fator determinante para sabermos qual igreja está pregando a verdade e desta forma é fiel à primeira igreja. É especialmente importante comparar as Escrituras com os ensinamentos de uma igreja em termos dos assuntos centrais, como a total divindade e humanidade de Cristo, a expiação pelo pecado através de Seu sangue no Calvário, a salvação do pecado pela graça por meio da fé e a infalibilidade das Escrituras. A “primeira igreja” e “a igreja verdadeira” estão registradas no Novo Testamento. Esta é a igreja que todas as outras igrejas devem seguir, tentar igualar ou superar e ter como modelo.

          Responder

          1. Obcecado por querer ser o certo, nega qualquer fio de erro e não questionar-se, faz cometer pecados em nome de sua fé.
            Jesus nunca impôs nada a ninguem, nem os amaldiçoou os que não o seguem.
            Como seria chegar a uma população e dizer que tudo o que creem é falso?
            Aconteceu no descobrimento do Brasil, pode acontecer de novo.


        2. quando afirmamos que o que eu sigo é certo e o que o outro segue e errado, minha religião e a certa, a do outro é a errada.Ora, ora, esta me faltando humildade, e isso já é um pecado, fora dizer que és também presunçoso…Suponhamos que Jesus tivesse uma religião, qual seria ela? A católica? lógico que não!!com certeza seria o Judaísmo, visto que é a primeira religião do mundo,e pelo que sei o Cristianismo e uma variante do Judaísmo, assim como o Islamismo.

          Responder

        3. NOSSA!Como você é inteligente!Meus parabéns!PQP…..

          Responder

        4. Ótima explanação!! Porém, como confiar plenamente, não nas palavras de Deus ou de Jesus, mas na dos homens diante dos fatos das dissidências do catolicismo?Martinho Lutero, em alemão: Martin Luther (Eisleben, 10 de novembro de 1483 — Eisleben, 18 de fevereiro de 1546), foi um monge agostiniano e professor de teologia germânico que tornou-se uma das figuras centrais da Reforma Protestante. Levantou-se veementemente contra diversos dogmas do catolicismo romano, contestando sobretudo a doutrina de que o perdão de Deus poderia ser adquirido pelo comércio das indulgências. Essa discordância inicial resultou na publicação de suas famosas 95 Teses em 1517, em um contexto de conflito aberto contra o vendedor de indulgências Johann Tetzel. Sua recusa em retratar-se de seus escritos, a pedido do Papa Leão X em 1520 e do imperador Carlos V na Dieta de Worms em 1521, resultou em sua excomunhão da Igreja Romana e em sua condenação como um fora-da-lei pelo imperador do Sacro Império Romano Germânico.

          Responder

        5. Seu pensamento e hipócrita!
          Na época de cristo não existia nenhuma religião e sim seguidores de Cristo!
          Então porque afirma sua religião ser a melhor se nem na época de Jesus existia? Nem a sua e nem nenhuma religião..

          Responder

        6. Tantos comentários e esclarecimentos sobre a igreja católica… por que não falou de inquisição? De feudalismo? De imperialismo?
          HIPÓCRITA.

          Responder

          1. As atrocidades que a igreja católica cometeu no passado deveriam ter vergonha dessa religião ainda se fazer presente
            nos dias de hoje.

            E atualmente, quantos absurdos acontecem nos templos evangélicos?
            Violência emocional, assédio sexual, abuso sexual, pedofilia, adultério, falsos testemunhos, abuso de poder, extorsão, fofocas, vinganças, injúrias e por aí vai…
            E como se não bastasse colocam Deus nisso tudo.
            Na minha opinião, essa é a pior afronta que pode existir só pelo fato de serem os primeiros a apontar e a julgar as “pessoas do mundo”, sendo que depois fazem bem pior e ainda por cima usam o nome de Deus no meio de tanta imundice.

            Deus vai além de todas as coisas e está acima de qualquer entendimento!
            Apenas o seu Amor liberta, cura, protege e nos guia!


        7. Será? A Bíblia em momento nenhum fala de religião e fala que os pastore tome de conta do seu rebanho, a biblia fala em oração não em rezar é meio contraditorio sua explicação. Eu estudei história. Nos livros diz que um reino se nomeou papa para conquista as pessoas que estavam sendo protestantes foi ai que comecou a rebelião, onde nasceu o carnaval as máscara era uma forma de as pessoas protestarem desse rei, foi quando a igreja veio com quarta feira de cinzas depois da festa de carnaval que quer dizer festa da carne. Eu acho que momento nenhum a biblia fala qual religião você deve seguir, mas sim fazer obras aqui na terra que agrade aos olhos do senhor

          Responder

        8. Geraldo…

          Rafaela
          1 minuto atrás Link permanente
          Seu comentário está aguardando moderação.

          As atrocidades que a igreja católica cometeu no passado deveriam ter vergonha dessa religião ainda se fazer presente
          nos dias de hoje.

          E atualmente, quantos absurdos acontecem nos templos evangélicos?
          Violência emocional, assédio sexual, abuso sexual, pedofilia, adultério, falsos testemunhos, abuso de poder, extorsão, fofocas, vinganças, injúrias e por aí vai…
          E como se não bastasse colocam Deus nisso tudo.
          Na minha opinião, essa é a pior afronta que pode existir só pelo fato de serem os primeiros a apontar e a julgar as “pessoas do mundo”, sendo que depois fazem bem pior e ainda por cima usam o nome de Deus no meio de tanta imundice.

          Deus vai além de todas as coisas e está acima de qualquer entendimento!
          Apenas o seu Amor liberta, cura, protege e nos guia!

          Responder

    4. Olá.
      Tenho 25 anos, frequentei a igreja católica durante a infância, fiz a primeira comunião por influência materna, e frequentei a Assembleia de Deus por causa de paqueras, e acredito que muitos aqui já tenham passado por isso também.
      Também já frequentei centro espirita, fui até batizado.. não por espontanea vontade, mas parte da minha família era do meio, como minha avó e minha tia, minha mãe nao era muito ligada não, mas frequentava as vezes e eu ia junto.
      Eu achava chato ir pra igreja católica fazer catequeze, achava pecado ir pra assembleia por causa de paquera e achava estranho ir para o barracão, era meio cabuloso..
      Mas hoje eu agradeço por toda essa experiência, pois apredi a respeitar a todas, a não discrimina-las em hipótese alguma, e nem desacreditar.
      Apenas respeito.
      Pude aprender também, na minha consepção, que todas as “religiões” tem o mesmo objetivo, aproximação com Deus, porém, cada uma com sua maneira diferente de ser e agir.
      Acontece que, como a maioria aqui já sabe, as “instituições” e o “homem” se aproveitam da mente fraca das pessoas pra tirar proveito.
      Eu não sigo religião por diversos motivos..
      Se somente uma religião é a certa, como vou saber qual delas?
      Segundo, quem escreveu a bíblia? Quem escreve os cultos? Quem ministra a palavra?
      O Homem.. e como eu poderia acreditar no homem se segundo a própria biblia que eles usam como referencia diz que o homem é falho e pecador.
      Ainda segundo a bíblia, o homem que tem noção de Deus, já ouviu falar sobre, e não segue os mandamentos, não irá passar no juízo final.
      Cara, como acreditar nisso??
      Tenho um tio ateu, que xinga e os carai falando que Deus não presta, que Deus isso e aquilo, mas é o cara de melhor coração que eu já conheci. Ajuda a todo mundo, só se fode tomando pernada, deixa de ter pra si, para dar. Honensto, bondoso e etc.. Como eu poderia acreditar q um cara desse nao vai para o céu?

      Então hj eu não tenho mais duvidas, minha religião é Deus. Ponto.
      Acordo cedo, faço minha oração, vou almoçar, faço minha oração, vou dormir, faço minha oração.

      Mas não preciso deixar de fazer aquilo que eu gosto (tomar uma cerveja por ex) e nem frequentar templos criado por homens para me aproximar de Deus.
      Deus está no meu coração, e não na igreja.
      Ponto.

      Show de bola o blog. parabens.

      Responder

      1. Nossa, também compartilho desse pensamento. Faço das suas palavras as minhas. ?

        Responder

      2. Não sou Cristão, mas depois que passei a ter um pouco mais de conhecimento da bíblia essa parte que você citou que está em hebreus vem me tirando a paz, sobre a pessoa que conhece a Deus mas volta a viver como antes… me assusta pq não quero ser cristão, nem me envolver com nenhuma religião.. e acredito em Deus.. inclusive aconteceu umas coisas bem estranhas comigo de uns 4 anos pra cá… Não quero ser cristão, mas tenho medo ir para o inferno, tô sem paz faz uns 2 meses… sla..

        Responder

    5. Sim irá pois acreditar em Deus e seguir seus mandamentos ou seja pra quem gosta de ouvir isso suas normas que acreditar que tudo que está escrito na biblia e nossa condição de receber o direito do ceu

      Responder

      1. Em nenhum passagem me recordo de Jesus pedir para escreverem seus ensinamentos, mesmo sendo escrita muito tempo depois de sua morte as pessoas encaram como sendo letra a letra todas dele, será?

        Responder

    6. EXCELENTE COLOCAÇÃO AMIGO. ATÉ HOJE EU NÃO SABIA QUE MINHA CRENÇA TINHA NOME: CHAMA-SE DEISTA; ACREDITO EM DEUS PORQUE VEJO SUA OBRA; A NATUREZA COM SUA PERFEIÇÃO, O UNIVERSO E TUDO QUE EXISTE. SEI TAMBÉM QUE NADA EXISTE POR SI PRÓPRIO. SE TUDO EXISTE, EXISTE UM CRIADOR, DEUS.
      OBRIGADO PELA IDÉIA.

      Responder

      1. Enfim alguém coerente. Sou da mesma opinião, nada se criou sozinho, e foi por uma força a qual denominamos Deus.

        Responder

      2. Olá, já que você gostou de ouvir a palavra Deísmo, certamente, vai gostar de ler o livro A era da razão, autor Thomas Paine.Vake muito a pena, me ajudou a entender um pouco mais sobre a filosofia Deísta. Deísmo não é religião, e, sim uma filosofia.

        Responder

    7. E ISSO MESMO, EU JA VI CERTAS PESSOAS SAINDO DE IGREJA CATOLICAS E FALANDO EM ROUBAR UM CARRO, E ELES NUNCA SERA PECADORES, E MUITO MAIS?, ATE OS PRESIDENTES AMERICANOS COMPRIMENTAM COM?E NAO ?, PENTAGONO E A MARCA DO DIABO………?.

      Responder

    8. Todos somos, esse que é o erro deles. Se acham superior. Estamos no mesmo barco, quem nos salva é Deus não nós. Não sigo mais religião porque vejo preconceitos que na prática fica bem claro. Falam que respeitam homossexuais mas do nada aparece um “mas” depois na frase porque no fundo querem que gays deixem de ser gays.

      Responder

  2. Boa noite!
    Bom eu acredito que a religião divide a humanidade, acho que o homem tira proveito em certas religiões benefício própio, se aproveitando da carência e fraqueza das massas para enriquecer e ter poder sob as mentes fracas, manipulando, e vendendo prosperidade segunda a fé das pessoas.

    Responder

    1. Olá Diogo!
      Também acredito que muitos FDPs fazem isso também, usando esse tal deus para terem vantagens na vida. Obrigado pelo comentário!

      Responder

    2. Concordo plenamente quando diz que religião divide as pessoas, mas não só a religião, mas a raça, o poder, a posição social, as condições financeiras e etc.
      Acabei de descobrir que sou Deísta, mas diferentemente eu acredito que todas as religiões tem suas verdades, e todas podem te encaminhar a Deus.

      Eduardo

      Responder

    3. Alem de dividir as pessoas, as chamadas guerras santas continuam matando as pessoas, física ou moralmente. Uma descoberta comprova que a Bíblia é totalmente simbólica e o que ela relata é a criação do primeiro verbo (palavra) humano. Vejam o blog: O SEGREDO

      Responder

  3. As religiões são necesarias, desde que alguém tenha nessecidades das mesmas.Pra outros elas são mole tas que auxilia a muitos a caminhar. Para outos; as religiões são apenas gaiolas que aprisiona a alma. A humanidade tem sua própria história escrita nas suas próprias experiências. Ela deve continuar escrevendo independente, com a religião ou sem a religião

    Responder

  4. Eu concordo com muito do que disse porém gosto de me chamar Deísta, pois as crenças ou falta de , varia de deísta para deísta, não é como uma religião ou o ateísmo que seguem uma linha de pensamento fixa.

    Responder

    1. Olá Stefanny!
      Obrigado pelo comentário. Só não gosto do nome “deísta”, porque dá a entender que é outra religião, o que não é. É apenas uma forma de pensar.

      Responder

  5. Boa noite!! sou teólogo e Cristão, interessante todos esses comentários, devemos separar religião de instituições religiosas, ou seja, todos os comentários que se referem a religião que eu pude ler, na verdade estão se voltado para as instituições religiosas que usam a religião como desculpa para praticarem abusos, extorsões e etc. Religião que significa religare, dando entender que o homem está buscando um relacionamento intimo com seu criador, que havia no passado e agora não mais, ou seja, são métodos e meios que possibilitam tal relacionamento. e para isso você de fato não precisa de instituições religiosa, você só precisa do próprio Deus.

    Responder

    1. Olá Félix!
      Obrigado pelo comentário. Concordo com seu argumento. O grande problema é que essas instituições religiosas usam seu poder para ditar as regras do jogo, e definir como as pessoas devem se relacionar com suas divindades. E muitas pessoas acabam seguindo e acreditando que a verdade é aquilo que suas religiões pregam.

      Responder

  6. Desculpe enviei um olá para ver se estava funcionando, bom dia, sou Marcos tenho 27 anos, e há algum tempo me pego neste dilema religioso, alguns fatos de determinadas religiões não condizem com o que eu acho certo, e acabam entrando em controvérsias com os próprios fatos delas mesmas. Minha vida gira em torno de um criador, porém não consigo pensar num Deus cruel que mata até crianças só por eles não serem filhos de Israel, não consigo pensar em adorar Santos, ou pensar que posso falar com gente morta. Não tenho sensibilidade para ver ou ouvir espíritos e não acredito no jardim do éden…! Enfim, são vários temas, mas gosto muito de acordar de manhã e perceber como a criação de Deus é linda, perfeita. Sei que exista um Deus, ninguém irá me tirar isso. Porém não sei como segui lo nem ao menos a melhor forma de me portar, também sei que existe explicação para isso tudo, pois uma vida por si só em ínfima perto de algo superior, Deus não criaria isso tudo para apenas 80 ou 100 a só de vida e acabou. Por favor quero aprender mais sobre o deismo. Meu email segue abaixo, se puder passar algum tipo de contato agradeço.

    Responder

  7. Olá , diante de tantos questionamentos e de respostas que como um círculo:não levava a lugar nenhum. Me vi em uma situação onde a resposta estaria em Deus, então disse para mim mesma: agora será eu e Deus, não vou seguir nenhuma religião, mas onde quer que seja dita a palavra de Deus, lá estarei para ouvir , refletir e fazer o bem sem esperar nada em troca. Pois Deus está em todos os lugares ,mas é dentro de ti que deve mante-lo.

    Responder

    1. Fui criado na igreja católica, aos 17 anos conheci a igreja protestante. Fiz teologia, fui pastor. Vivo há mais de 30 anos sem ligação com igreja. Somente eu e Deus. Fiz minha religião (religação). Sou EU e DEUS.

      Responder

  8. Boa noite a todos !

    Por muito tempo tinha uma certa angustia dentro de mim por me perguntarem qual sua religião e eu não sabia o que falar….
    Minha família é de catalicos uns praticantes e outro não muito.
    É com isso me perguntando e sendo questionador com membros importantes de religiões diferentes, sei que sou sim um deísta.
    Na minha concepção ser deísta não é ser de religião alguma e muito menos ser contra qualquer religiões.
    Simplesmente é acreditar em Deus e ter o seu momento com ele e não precisa ser um horário especifico um dia específico é o momento seu com sua dinvidade.
    Muitos de qualquer religião tem nomes e rótulos pra este tal momento ser deísta não tem nome tem o momento.
    Não quero que ser DEÍSTA seja uma religião porque todas as religiões tem um meio de comercio paralelo implantado. Repito respeito todas!
    Mas verdadeiramente sempre teve pessoas com o mesmo pensamento de deísta só que não se manifestava, de vergonha da sociedade.
    Sou deísta e acredito que não preciso de nenhuma pessoa pra fazer a interface entre eu e Deus.
    Que todos nos independente da sua crença em sua divindade tenhamos uma excelente semana!

    Responder

    1. Olá Henrique! Obrigado pelo comentário, e realmente é isso. 😀 Abraço!

      Responder

    2. Seu momento com Deus, oração, seria ler um salmo da bíblia?
      Pra mim, penso em conversar sozinho como estivesse com outra pessoa, com diálogos simples, sem versos feitos.
      Alguns me viriam como lunático, ao contrário daquele q fala alguns versos da bíblia, de um padre etc..

      Responder

      1. Para mim o meu momento com Deus é assim também, só que talvez um pouco estranho. Eu só chego e falo como se estivesse falando com um amigo. As vezes eu estou no ônibus e começo a sentir como se tudo parasse a eu começo a observar tudo, o ambiente, as pessoas, as conversas, o cheiro e as expressões de sentimentos de cada um ao meu redor. E de repente eu estou conversando algo como ” olha Deus que fofinho aquela criança, nossa Deus as pessoas são estranhas mas ao mesmo tempo são interessantes” ou eu vejo uma paisagem bonita e me pego pensando ” Nossa Deus você é incrível ein? Como pode fazer algo tão bonito, as coisas que você faz são realmente maravilhosas”.
        E então sinto como se Deus estivesse em várias coisas: na água correndo no rio, na folha caindo da árvore, no vento que balança meu cabelo, no ar que respiro, no sorriso de uma pessoa. E quando eu me concentro nessas coisas me sinto conectada com algo superior e inexplicável.

        Responder

        1. Muito bacana seu modo de ver as coisas! Também converso com Deus como se fosse um amigo.
          Creio que isso nos aproxima dele.

          Responder

  9. Boa noite pessoal ! eu não sabia o que eu era, porem me encaixo como Deísta, e fico feliz em saber que não estou só nessa minha linha de raciocínio. religião nunca mais, porem leio a Bíblia praticamente todos os dias, quanto mais leio, mais me convenço que religião é uma forma de se acomodar na fé acreditando no ser homem, conclui que todas religiões são criadas por homens e nos nossos dias são para arrecadar fortunas dos coitados. Que Deus nos Abençoe e nos livre dos engano chamado Igrejas (prédios ). Abraços a todos.

    Responder

  10. Independentemente de ser Deísta, Ateu ou religioso o mais importante é o caráter de um homem e o seu legado.

    Responder

  11. Durante muito tempo em minha vida tive a religião como obrigação, a família quase por inteira e católica, alguns evangélicos e espíritas, nunca me senti a vontade em nenhuma delas, sendo assim busquei muito material de diversas crenças, seitas e religiões ao redor do mundo, seja ela budismo, hinduísmo, espiritismo entre outras, mas sempre acabo esbarrando em algo que não concordo em parte ou plenamente , pois na visão que tive em tudo que lia era que de alguma forma você tem regras, normas, coisas que te aprisionam ou não te deixam enchergar além, a necessidade do ser humano de se apegar a algo em minha sincera opinião é cultural. Quanto mais vejo e aprendo sobre algum tipo de religião, mas tenho a certeza de que não necessitamos delas, o que importa no final de tudo e simples, o que você faz pelo próximo, a quem você ajuda? Você ajuda um hospital, um lar de idosos, uma senhora a atravessar a rua, estende a mão aos que precisam, pense nisso, e nao somente em ir à uma instituição religiosa rezar, orar e quando sair de lá não tomar nenhuma atitude, não fazer algo de útil nessa vida. Isso é só um pouco do que penso, ainda estou em busca de algo, existe um ser superior criador, talvez!!! Existe o sobrenatural, não duvido, estou aberto a tudo.

    Responder

    1. Concordo inteiramente, caro amigo, me identifiquei bastante com o seu relato, penso exatamente assim. A prática de fazer o bem sem olhar a quem é muito mais importante do que a teoria. Fazendo uma autoavaliação, sei que preciso partir mais para a prática. Na verdade, penso que é o que mais falta no mundo realmente, a prática do bem e não uma imersão sem fim pela teoria como a maioria de nós acaba fazendo.

      Responder

  12. Olá pra todos
    Me encaixo no dito deísmo.
    Acredito que cada religião tem suas verdades, mas, que também existam certas “manipulações “coloquiais na forma como cada um fala sobre Deus , querendo colocar suas concepções e aquilo que acreditam como verdade no que dizem. Buscando falar somente partes que os convém.
    Tenho duas bíblias uma católica(dada pela minha mãe) e uma evangélica( dada por uma mulher da igreja da minha prima) e acho sim como disse uma pessoa acima que são modificadas para estarem de acordo com o que o autor quer descrever como o certo.
    O Deus é único e Ama a cada um como é, não diferencia ou exclui esse ou aquele por sua crença mas sim pelo que tem dentro de si.

    Responder

  13. Deus olha o interior enquanto as pessoas, querendo ser Deus, querem julgar, apontar e desclassificar os demais por não pensarem ou serem de acordo com o que eles querem.

    Responder

  14. tambem concordo com varios pensamentos aqui estou angustiado pelas pessoas q seguem certas religioes a a todo custo querem q acreditemos em suas convicçoes custe o q custar se nao acreditamos como eles parece q viramos inimigos deles!!!

    Responder

  15. Eu acredito em Deus como único criador e que todo o resto são criaturas ,respeito todas as religiões pois acho que é seja uma ponte entre uma filosofia de vida para com o divino e que cada indinviduo deve ou não seguir a que se adequar melhor de acordo com as suas limitações.

    Responder

  16. Eu sou irreligiosa porque deus é ruim e imperfeito. Só a Ciência é verdadeira e não a bíblia.

    Responder

    1. A visão que tens que Deus é ruim e imperfeito é fruto da personificação que impuseram a Deus… Deus existe e Ele é o MENTOR-CRIADOR de tudo e DEUS usa a CIÊNCIA para fazer suas obras. A ciência não é do homem, é de DEUS! Deus apenas deu a ferramenta adequada, nosso processador ( nosso cérebro ) para que o homem pudesse descobrir a ciência Dele.

      Responder

  17. Muito bem colocado o texto.

    Poderia então se chamar de sem religião. Assim, se abre a possibilidade de crer livremente sem ter nada pré estabelecido.

    Responder

  18. Isso tudo é muito confuso, religiões, existem tantas.
    Eu acredito que há um Deus, porém algumas pessoas vivem com a mente fechada, e julgam quem pensar diferente, eu acho lindo as pessoas compreenderem que quando uma pessoa vai pra uma igreja ou religião diferente da dela, ela está buscando Deus, só que pelo caminho dela, não ache que alguém está errado só porque ele pensa diferente de você, não julgue, oque adiantaria? Uma pessoa ir pra igreja ou qualquer outra religião só porque dizem que ele seria salvo se ele nem se sente bem la
    Como uma pessoa pode ser salva odiando algum ligar?
    Existem caminhos diferentes, cada um tem sua escolha
    Ninguém esta dizendo pra aceitar a religião dele, apenas respeitar, não julgar
    Uma pessoa que diz que não é “Deus” pra julgar ninguém, e logo em seguida diz que a pessoa vai pro inferno por estar em outra religião, no meu ponto de vista esta julgando é isso seria errado nao seria?

    Responder

  19. Bom, segundo o espiritismo (doutrina na qual estou a seguir no momento), eles afirmam que não ter uma religião específica e tendo sua crenças individuais em Deus é sinal de evolução um passo importante para a liberdade de adoração ou não a Deus, tudo é permitido desde que não se prejudique ou prejudique o próximo.

    Responder

  20. Passei 10 anos em uma igreja, rigorosa, que eu não podia usar calça e os membros controlavam e palpitavam na nossa vida. Tava me sentindo sufocada pois não gosto de receber ordens. Nem meus pais me controlavam, por que eles que não me davam nada queriam mandar? Me retei e saí de lá e até hoje (3 anos depois) não fui pra nenhuma. Creio em Deus, quero crescer espiritualmente, aprender, mas não sei qual é o certo a seguir. Me sinto distante de Deus e nem tenho forças para orar como antes. Mais alguém se identifica e se sente nesta situação?

    Responder

    1. Fui batizado, fiz catequese. Frequentei à igreja, catolicismo por mtos anos. Alguns anos atrás, sofri uma crise convulsiva ficando na UTI por 32 dias. Familiares e amigos me visitavam, inclusive um pastor pai d um amigo com constantes orações.
      Laudos médicos até enviados para Inglaterra, com constantes análises com resultados mostrando q n haveria cura. Doutores então acreditando q n haveria cura.
      Sai deste estado, mtos dizendo q foi por um milagre.
      Até hj n estou 100%, necessito de remédios e vivendo com certas restrições pois ainda tenho algumas crises repentinas.
      Acredito em Deus mas n me ligo a nenhuma religião embora encontrando o Agnosticismo.

      Responder

    2. Yasmin, a partir do seu comentário eu acho que posso dizer que você é tudo, menos uma sem religião.

      O que aconteceu com você acontece todos os dias com um monte de gente que passa a fazer parte de uma instituição religiosa sem saber nem bem por que motivo, e se submete a umas regras que têm lá suas justificativas, mas que não fazem muito sentido para essas pessoas.

      Talvez você sobreviva como uma deísta, mas eu duvido.

      Peço ao Fernando, autor do post inicial, que me corrija se eu estiver errado, mas vou repetir o que escrevi pra outra pessoa aqui.

      Se a vida nesse mundo pode ser comparada a uma partida de futebol, o deísta é aquele cara que acredita que um ser pessoal, Deus, construiu o estádio, colocou a galera toda lá dentro, na torcida e no campo, deu um chutão na bola pro alto e foi pra casa assistir tudo pela televisão. Mas você quer um Deus que ouça suas orações, que você possa seguir, se sentir perto dele, e pelo Deísmo não dá.

      Pelo seu relato e pela minha experiência de vida, você deve ter frequentado uma igreja evangélica pentecostal bem tradicional, não é mesmo? Talvez uma Assembleia de Deus das antigas, uma Deus é Amor ou mesmo uma Igreja Cristã Maranata.

      Os evangélicos, que eu prefiro chamar de protestantes, têm um problema sério (mas todo mundo tem, não é mesmo?). É que com a Reforma Protestante e o anseio de se livrar da influência da Igreja Católica Romana, os reformadores estabeleceram um princípio chamado “livre exame das escrituras”. Ou seja, na prática, qualquer pessoa pode pegar a Bíblia, lê-la e interpretar o seu texto como lhe parecer. Entre os católicos isso não dá, porque tem o tal Magistério da Igreja, que é o que dita a interpretação correta dos textos bíblicos.

      Pois bem, o problema disso é o que a gente vê entre os protestantes mundo afora: uma porção de igrejas protestantes diferentes, cada uma sob um nome específico e divulgando doutrinas próprias, mas todas a partir da Bíblia.

      É claro que tem um núcleo de doutrinas que é comum a praticamente todos os protestantes, que é o que os diferencia mesmo dos católicos, mas há vários outros detalhes que os separam entre si.

      Se você continua crendo no Deus pessoal de que se fala lá na Bíblia, esse de quem você disse que está se sentindo distante, e sente vontade de orar a esse Deus, então, minha cara, visite outras igrejas – há batistas, presbiterianas, congregacionais, assembleias mais moderninhas e por aí vai. Vai numa, participa de um culto, se não gostar não volta mais, se gostar volta outro dia, conversa com um ou com outro sobre os costumes que eles vivem ali, até você encontrar um lugar… ou não.

      Eu não sou um sem religião, pelo menos ainda não. Já fui um bocado de coisas, de budista a espírita, passando por rápidas paqueras com o Judaísmo, a Logosofia, o Islamismo. Hoje eu estou protestante, mas também carrego comigo as minhas dúvidas, e vejo problemas, sim, nas instituições religiosas. Mas, até em clubes de meninos montados no fundo do quintal dá confusão, né?

      Como o seu comentário foi feito há cerca de um ano, não sei como você se resolveu de lá pra cá, nem mesmo se você vai ler esse comentário, e espero que possa te ajudar de alguma forma.

      Abração!

      Responder

  21. Não frequento nenhuma religião, mais creio no amor e na misericórdia de Deus.
    Acredito que tudo que passamos na vida é um aprendizado, que é Deus de alguma forma nos fazendo pessoas melhores.
    Todos nos seres humanos somos falhos, cheio de defeitos e muitas vezes nos acompanha a incapacidade de enxergar as outras pessoas como filhos igualmente amados por Deus.
    A maioria das pessoas, e falo de mim também, tem a mania de jugar os erros dos outros até que em um belo dia, situações da vida nos levam a cometer erros que tanto julgamos nos outros.
    Eu creio que o amor de Deus é bem mais do que qualquer religião consegue descrever.
    Eu em um momento muito difícil da minha vida revoltei com tudo , com todos e me perguntava o porque que Deus estava permitindo eu passar por tanta coisa. E hoje condigo ver que ele me protegeu de muita coisa mesmo na época da minha revolta, ou seja, quando eu menos merecia.
    Quando passamos por momentos difíceis nos tornamos mais fortes pois somos obrigados a lidar com a dor. Quando erramos aprendemos que não podemos e nem temos condições de julgar os outros pois somos propensos a falhas e erros assim como qualquer outra pessoa.
    Hoje mesmo sem religião creio em um Deus que nos ama e cuida de nos e está sempre de braços abertos para nos acolher e nos ajudar a ser pessoas melhore, basta que demos espaço para Ele em nossa vida.

    Responder

  22. SE NÃO EXISTISSE RELIGIÃO NÃO HAVERIA DISCÓRDIA.
    ACREDITAR QUE DEUS CRIA TUDO.
    ACREDITO QUE A VERDADEIRA IGREJA SOMOS NOS UM COM OS OUTROS.

    AMAR DEUS SOBRE TODAS AS COISAS ( RELIGIÃO)
    AMAR O PRÓXIMO COMO A MIM MESMO ( NÃO JULGAR AS DIFERENÇAS )

    Responder

  23. HOJE EM DIA NEM PODEMOS ESCOLHER RELIGIÃO POIS AS IGREJAS VIRARAM LOTERIAS ONDES OS MAIS NECESSITADOS APOSTAM O UNICO BEM QUE TEM PARA ENRIQUECEREM A MENORIA QUE DIZEM SER SEU LIDER… AINDA USAM O NOME SANTISSIMO DO SENHOR EM PROL DELES MESMO… ONDE JA VI PASTORES CANALHAS DIZENDO QUE DEUS DEU O PODER PRA ELE ABENÇOAR UMAS CANETAS E VENDER CADA UMA POR 100 REAIS…. EU NÃO PRECISO DE HIPOCRITAS PRA ME CONDUZIR ATE O SENHOR NÃO, SOU TEMENTE A DEUS E NÃO A DOUTRINA DE NENHUMA IGREJA… DENTRO DAS IGREJA SO ROLA FOFOCAS INTRIGAS UM QUERENDO SER MELHOR QUE O OUTRO… EU DENTRO ME MINHA CASA NÃO PRECISO OLHAR PRA VIDA DO MEU VIZINHO PRA SE CORRIGIR E PEDIR PERDÃO A DEUS NÃO.

    Responder

  24. Sou batizada na igreja católica e tenho sacramentos da igreja católica. Porém, minha filosofia de vida é outra. Em acredito em Deus em si. Deus é muito maior que religiões, limitações e rótulos. Se eu for pra uma igreja evangélica ou qualquer outra, eu irei sentir o mesmo Deus da igreja católica, porque Deus não tá em nenhuma igreja. Deus tá em mim. Em qualquer lugar que eu for e tiver fé naquilo. Eu irei encontrar o Deus.

    Responder

  25. Eu não sigo nenhuma religião, então sou deísta?
    Acredito em Deus, fantasmas, demônios e alienígenas, porém acredito que Deus é uma forma de energia podendo ser consciente ou não.
    Acredito que os chamados fantasmas, são fragmentos de energia que quando se desprendem do corpo por completo, voltam ao núcleo da energia que criou tudo.
    Perguntei o que eu era para um amigo e ele disse que eu me encaixava na categoria “Maluco”.
    Sou um sem religião? Tem outra categoria em que me encaixo? (Sem zoeira por favor).

    Responder

    1. Você não é maluco, eu sou um pouco parecido. Hoje, o limite entre ficção e realidade está cada vez mais próximo. E quanto ao que disse sobre a alma, também penso semelhante mas creio que haja algo mais. Nossa alma é consciente. Creio que Jesus não tenha resssucitado, ele apenas mostrou que mesmo após a morte nossa energia é consciente. Jesus, permitiu que sua alma se tornasse tangível.

      Responder

    2. E aí, Charlie!

      Cara, você não é maluco não. A meu ver, você só está um pouco confuso. Mas quem de nós não fica assim de vez em quando, né? É muita informação, o tempo todo e de todos os lados, nos puxando em todas as direções. Dá, tranquilo, pra pirar às vezes.

      O Fernando me corrija se eu estiver escrevendo bobagem, mas o Deísmo não é propriamente um religião, mas um deísta não pode ser classificado como alguém que seja alheio à ideia de religião, ainda que eventualmente não se filie a nenhuma religião institucionalizada.

      Se a vida nesse mundo pode ser comparada a uma partida de futebol, o deísta é aquele cara que acredita que um ser pessoal, Deus, construiu o estádio, colocou a galera toda lá dentro, na torcida e no campo, deu um chutão na bola pro alto e foi pra casa assistir tudo pela televisão.

      Alguém que não segue nenhuma religião pode ser, sim, um deísta, ou um ateu, ou um agnóstico, mas não necessariamente uma dessas opções.

      Você diz acreditar em Deus, mas que esse seria uma forma de energia que pode ou não ser consciente. Desde que essa palavra surgiu no nosso mundinho judaico-cristão e greco-romano, ela corresponde a um ser pessoal e consciente. A forma de energia a que você se refere a gente foi conhecer quando soube da existência do Budismo, e resolveu, por falta de palavra melhor, equiparar a força cósmica a que eles se referem ao Deus, ou deuses, que nós conhecíamos por aqui.

      Nesse ponto, pra mim, você não acredita num ser supremo pessoal, mas numa forma de energia, e eu não consigo enxergar como isso possa ser consciente. Mas, vá lá, na sua forma de ver pode.

      Você fala em demônios. Bom, sem nos aprofundarmos na origem etimológica do termo, mas na visão mais popular, demônios são seres pessoais, conscientes, mas que se voltam contra o Deus pessoal da civilização judaico-cristã. Como você acredita em um Deus que é uma forma de energia, fica meio fora do prumo você acreditar em demônios na forma como eu expus acima.

      Acho que a coerência está em um ou mais deuses pessoais opostos a demônios pessoais, todos conscientes, ou em nenhum dos dois.

      Vamos para os seus fantasmas. Pra alguém acreditar em fantasmas, quer dizer que essa pessoa acredita na possibilidade de ver, ouvir ou sentir de alguma outra forma aquela porção de cada um de nós que não é o corpo físico, certo? Então, quando você diz que, pra você, os fantasmas são fragmentos de energia que, ao se desprenderem totalmente do corpo físico, voltam ao núcleo da energia que criou tudo, então os fantasmas, nessa definição, não serão vistos, ouvidos ou sentidos, já que voltaram ao núcleo de energia que criou tudo. Ou seja, os fantasmas, nessa sua definição, existirem ou não, daria no mesmo, né?

      Quanto a alienígenas, aí é outra história. São mais de nós mesmos, modificados nesse ou naquele aspecto, vivendo em outros planetas. Aí, sei lá, talvez tenha, talvez não, mas aquele carinha de cabelos em pé que aparece nos canais da Discovery garante que estão em nosso meio.

      Sim, você é um sem religião, não há dúvida, já que você não se vincula a nenhum sistema de crenças institucionalmente constituído. Mas você podia gastar um pouquinho mais de tempo colocando em ordem as suas crenças pessoais para que elas façam sentido, pra você mesmo.

      O Antônio Marcos, que respondeu ao seu comentário antes de mim, aludiu a um limite entre ficção e realidade que está cada vez mais próximo.

      Eu discordo, ainda que defenda até a morte o direito dele de afirmar isso.

      Um limite não fica mais ou menos próximo. Um limite está entre duas coisas, é o que os separa. Dizem que ele pode ficar cada vez mais tênue, como aquela linha que delimita o campo de várzea, e que no final da pelada ninguém mais sabe se a bola saiu ou não.

      Acho que o que ele quis dizer é que ficção e realidade estão cada vez mais próximos um do outro. Mas, a meu ver, isso não tem nada que ver com o que você colocou antes, já que, se você diz que acredita em algo, então pra você esse algo existe, é real, e não uma ficção. Se você sabe que é uma ficção, você não acredita, do contrário, aí, sem zoeira, você tem um problema mesmo, e precisa de ajuda especializada.

      Só pegando um gancho numa coisa que o Antônio Marcos escreveu sobre Jesus e ressurreição e consciência da alma energética.

      Se se acredita em Jesus, e naquela história de ressurreição, que ele podia ser tocado por outras pessoas, então qual é o lance de não se acreditar em todo o resto que naquele livro se diz dele?

      Quer dizer, só se fala na existência dele naquele livro específico, a ressurreição dele também, e o fato de terem tocado nele, idem. Acredita-se nisso, que só é dito naquele livro. Então, dê-se um passo a mais – o nascimento de forma extraordinária dele; os milagres que realizou; os ensinamentos que transmitiu; sua própria interpretação da sua ressurreição; sua subida ao céu; o lance da salvação pela fé nele e em sua morte na cruz, e por aí vai.

      É uma questão de coerência, gente!

      Um homem é morto crucificado, e ressuscita depois de três dias. Ok, eu acredito nisso. O ressuscitado atravessa uma parede e se deixa tocar pelos caras que andaram com ele. Ok, eu acredito nisso também. Agora, ele disse que se você acreditar que a morte dele na cruz é eficaz para que as bostas que você na vida sejam anuladas e você vá para o céu… aí não, nisso eu não acredito!

      Isso eu não entendo. É aquele lance de um livro ser escrito e eu acredito no que eu quiser dele, e no que eu não quiser eu não acredito e aí eu sou um sem religião, livre da ignorância, da opressão e tal e tal. Qual é? Vai acreditar, acredita direito. Ou não acredita e pronto.

      Sabe o que parece? Uma reserva de segurança. É como se se dissesse assim: olha, eu sou um cara descolado que não tenho religião porque isso tudo de religião é ignorância medieval, e eu sou livre, mas eu vou guardar aqui no cantinho uma crençazinha numa coisinha que aquele livro diz, porque, afinal, vai que, né? Aí, se eu morrer e não me transformar numa faísca elétrica, e der de cara com o tal Deus de que se fala naquele livro, eu posso apresentar aquela minha crençazinha, e de repente ele me libera, né?

      Reserva de segurança, ou desonestidade intelectual, ou hipocrisia existencial, mas não é nada melhor do que aquele pessoal que sai de casa domingo de manhã todo arrumadinho pra ir pra igreja. Esses pelo menos, com todos os seus defeitos, dúvidas e problemas, assumem o que fazem.

      Responder

  26. Crescí católico e hoje sou Deísta sem o mínimo preconceito com quem tem religião determinada. Venho apenas deixar minha opinião, já que nos foi pedido para evangelizar. Acredito que a dificuldade sobre a fé em Deus está na interpretação e garantia da não adulteração da Bíblia. Ora, se pudéssemos ler as escrituras originais, para garantir que a interpretação seria feita da forma mais adequada talvez fosse possível reduzir drasticamente a quantidade de religiões. Essa impossibilidade nos traz a esse debate.
    Dito isso, e sabendo que tanto Deus quanto Jesus já sabiam que as pessoas teriam essas dificuldades, digo que nenhuma religião é “a correta”.Tanto que até a religião na qual o próprio Jesus nasceu não estava totalmente correta.
    Se lermos a bíblia, e considerarmos que suas palavras são confiáveis (perdão a Deus por precisar dizer isso), veremos que foi dado a moisés 2 tábuas com dez mandamentos, e que, Jesus depois reduziu esses dez a somente dois: Antes de tudo, “Amar” a Deus. E depois, “amar” ao próximo com a ti mesmo. Destaquei em especial a palavra amar, porque acredito que o AMOR é o que realmente garante que andemos no caminho correto. Acredito que Jesus fez isso para simplificar o processo para nós. Todos nós podemos amar. Se surgir alguma dúvida sobre como proceder, aí o restante do conteúdo da bíblia serviria para nos auxiliar. Não acredito que decorar a bíblia toda e viver dentro de templos e igrejas resolva o problema.

    “Amar é divino.” Ame mais, sempre! Assim encontrará a Deus!

    Responder

  27. Tem uma versículo que fica em Tiago 1:5 que diz: “e se algum de vós tem falta de sabedoria peça-a a Deus que a todos dá liberalmente não lança em rosto e ser-lhe-à dada. Peça porém com fé em nada duvidando…”
    Esse versículo nos ensina que somenté Deus pode nos mostrar o caminho certo a seguir. Se vc tem dúvida sobre qual religião é a correta, então pergunte a Deus em oração. Ele sempre responde a seus filhos. Fique atento a resposta e esteja pronto pra seguir. Deus não quer que sejamos enganados, Ele quer que sigamos a verdade e quem melhor do que Ele pra nos dizer. É só perguntar. Esse tipo de coisa não adianta perguntar pra vizinho, amigos ou procurar no Google, as coisas de Deus só Ele tem a resposta.

    Responder

  28. Eu creio em Deus, porém não creio em bíblia. Onde me encaixo?
    O mandamento que sigo é “fazer o bem”. Precisa mais do que isso?

    Responder

  29. Bom, tenho 17 anos e já tem uns três anos seguidos que penso em religião em geral. Após muito pensar, sem influência de nenhuma pessoa ou religião, apenas eu mesmo falando sozinha kkk, eu cheguei a conclusão, pelo menos no momento, pois creio que daqui a três anos vou evoluir mais o pensamento porque para mim nós só não expandimos os pensamentos porque temos medo de não ter respostas para nossas perguntas e isso nós dá muito medo e nos torna pessoas de mentes fechadas e assim consequentemente em pessoas ignorantes, que o pior erro da humanidade é querer rotular tudo, de fixar na mente que temos que entra em padrões e rótulos pra conseguirmos ser bons, como se não fossemos capaz de definir por si próprio o certo do errado, bom do mau, de ver tudo preto e branco, sendo que cheguei a conclusão de que tudo é relativo, nós mesmo somos relativos agimos de acordo de como estamos nos sentindo no momento, nada é 100% verdadeiro, nada é 100% falso, tudo tem seus prós e contras, tudo depende da situação em si, tudo tem seu 1% de verdade, pra mim tudo no mundo tem um pouco de verdade, nada está 100% errado. Eu cresci levando em consideração o que as pessoas a minha volta diziam, sou batizada, minha família é católica, cresci em volta disso, levava tudo o que me diziam em consideração e em sentido concreto, céu e inferno, tudo mesmo, pior coisa é isso! Com o tempo comecei a questionar tudo pois algumas coisas que falam que diz na bíblia não batem com o que falam sobre Deus, questões como de sexualidade mesmo entre outras parecem contraditórias a tudo o que ele representa! Só a ideia de termos que seguir um livro pra definir o certo do errado, o que não fazer ou fazer, me deixa indignada pois o ser humano tem algo chamado BOM SENSO, se fazemos algo, mesmo um ser puro que não tem a definição do ”certo ou errado”, vai fazer sabendo lá no fundo de si que aquilo não está certo. Vejo gente falando que a bíblia tem que ser seguida pois é a vontade de Deus e sem ela não seriamos capaz de seguir o caminho bom e que se não segui vai pro inferno, mano é meio lógico, se Deus realmente nos colocou aqui pra nos testar porque ele criaria um livro com regras a serem seguida? sendo que seguindo essa lógica teríamos que descobrir dentro de nós mesmos, porque seguindo as regras, ou seja doutrinas, então a pessoa só estaria seguindo por medo de ir para o inferno e não de puro coração. Pra mim a humanidade tem medo de fazer perguntas e não obter as respostas aí vai pelo caminho mais fácil que é se apegar a uma doutrina e uma porrada de regras e contradições só porque tem medo de ter que ”viver” sem uma ideia fixa na mente, sem algo para dar sentido a tudo isso que por mais que surgem teorias ainda continua sendo um mistério e não importa o quanto tentamos nunca chegaremos a verdade absoluta pois somos seres inferiores a Deus! Por esse motivo eu acredito em Deus mas é só isso, só em Deus e nada mais, acredito que se fazemos algo ruim é porque queremos e assim vice e versa, a humanidade sempre procura justificações para as coisas erradas que fazem ao invés de admitir que fez algo errado porque quis!

    Responder

    1. Amanda, eu tenho 48 anos de idade, e já tem quase quarenta, seguidinhos, que penso em religião, em geral e em particular, e acredite, não há muita diferença entre nós, a não ser a ingenuidade da sua juventude.

      E digo ingenuidade aqui sem qualquer laivo pejorativo, mas como uma coisa que tem que existir, na criança, no adolescente, no jovem, senão nada anda nesse mundo.

      Continue pensando. E, sim, daqui a 3, 6, 9, 12, 20, 30 anos suas convicções vão se alterar, espero que evoluindo.

      Mas procure dar um pouquinho mais de atenção à vivência de outras pessoas, à proposta das religiões, e depois então fale sozinha com você mesmo.

      O nosso maior medo, a meu ver, não é de que não haja respostas para nossas perguntas, mas, ao contrário, que haja, sim, uma resposta para cada uma de nossas perguntas, mas essa resposta não seja a que desejávamos que fosse.

      Verdade! Já ouviu essa palavra, né? Também já ouviu dizerem que cada um tem a sua, né? Acredito que sim, porque você afirmou no seu comentário que tudo é relativo.

      Há uma cena que é descrita num livro famoso – depois você procura o nome -, em que um rapaz que causou um rebuliço danado no pouco tempo em que andou e falou entre as pessoas da sua região, está prestes a ser condenado à morte, e o figurão que iria condená-lo ou absolvê-lo lhe pergunta – O que é a verdade?

      Que resposta será que aquele bam-bam-bam gostaria de ter ouvido? Será que naquela hora, ele, um homem de poder diante de um reles prisioneiro cuja vida supostamente estava em suas mãos, teve medo de não ter resposta alguma, ou… de receber, sim, uma resposta?

      Tem duas curiosidades aqui, pelo menos!

      O prisioneiro devia ter alguma coisa em si pra fazer com que o figurão se interessasse por sua resposta. Mas essa é uma outra questão.

      A outra curiosidade, essa sim que tem me ocupado as reflexões pelo menos nos últimos 15 anos, é a resposta do prisioneiro:

      “…”

      Não, não é uma carinha, é o silêncio.

      Não houve resposta.

      Depois eu volto nisso. Agora, não se irrite tanto com rótulos e padrões. É sério! Quando nós definimos o certo e o errado, o bom do mau (e também o bem do mal), e o preto do branco, mesmo que seja por nós mesmos, são nossos rótulos que colocamos nas coisas, nas pessoas, nas ideias, nos comportamentos. É, somos nós cometendo aquilo que você classificou como o maior erro da humanidade – rotular tudo. Só que aí são os nossos rótulos, e deles nós gostamos, nos acostumamos aos nossos padrões, são nossos.

      Você está certíssima – tudo tem seus prós e seus contras. Mas – “tudo é relativo” – … bom, ai eu já não sei. Se tudo for mesmo relativo, a sua afirmação de que tudo é relativo também é relativa, então nem tudo é relativo. Ou, se a sua afirmação não for relativa, mas verdadeira, 100%, então aí está uma coisa que não é relativa, mas absoluta, e a conclusão é, de novo, que nem tudo é relativo.

      Eu não acho que sejamos relativos por agirmos de acordo com o que estamos sentindo em determinado momento. Por esse motivo nós somos inconstantes. Mas não relativos.

      Acredite, você vai encontrar coisas, se é que já não as encontrou, que não tem nem 0,0000000000000001% de verdade.

      Eu cresci crendo. Gostava de ir à missa quando era molequinho, e cheguei a fazer o catecismo por 3 vezes, mas nunca fiz a primeira comunhão. Passei a adolescência como budista, membro de uma seita japonesa, nada de lavagem cerebral, mas uma religião como tantas outras. A juventude, como espírita kardecista, por nove anos. Desde os 30 estou protestante, mas um período em cada tipo de igreja – entre os protestantes as há muitas -, e paquerando (não ligue para a linguagem, como eu disse, tenho 48 anos rsrsrs), às vezes de longe, outas vezes mais de perto, o Catolicismo Romano, o Ortodoxo, o Judaísmo, e até mesmo o Islamismo.

      Algumas vezes eu considerei o que as pessoas ao meu redor falavam. Outras vezes eu acreditei nisso. Não se considera algo em sentido concreto, desculpe-me a correção, mas ou se considera algo, quer dizer, se reflete sobre uma ideia, ou se acredita nela. E não tem outro jeito de acreditar se não for no sentido concreto.

      E acreditar no que as pessoas nos dizem não é a pior coisa, já que, a menos que criemos uma religião ou uma ideologia totalmente nossa e nova, sempre vamos acreditar no que alguém nos disse, ou escreveu e lemos.

      Tem um probleminha aqui com a forma como você encarou o binômio Bíblia/Deus. Sempre se acreditou em deuses ou Deuses, como preferir, e também em Deusas. De repente, alguém teve a ideia de acreditar em um só Deus, e, de acordo com essa pessoa, foi o próprio Deus único que lhe deu a ideia. E ele seguiu daí, e uma galera depois dele comprou a ideia. (No Egito teve um Faraó que tentou fazer isso também mas não teve muito sucesso). Bom, da vivência daquela turma e do seu Deus único surgiu um livro. É esse mesmo que você está pensando. Então, o que dizem desse Deus, ou o que ele representa, saiu desse livro. Depois, com os acontecimentos em torno daquele prisioneiro – lembra? – outras coisas foram ditas e escritas sobre aquele Deus, ou o que ele representa, e é tudo isso que chegou até nós.

      Assim, posso lhe dizer que não é o que falam que diz na Bíblia que não bate com o que falam sobre Deus. É que, fazendo perguntas sobre Deus, muitas pessoas não gostaram das respostas que recebiam do tal livro que se referia àquele Deus único – lembra que eu falei do medo de haver respostas? pois é -, e então o homem, que tem uma vontade grande de colocar os seus rótulos em tudo, tirou o personagem Deus da história do pessoal que veio com essa ideia, e tascou-lhes os seus rótulos, com as suas respostas. É isso que não bate com aquilo.

      Mas isso ou aquilo é o certo? Aí eu vou ficar te devendo a resposta. Ainda não a encontrei, e confesso que tenho medo de ser alguma de que eu não gostei.

      Não há problema em tirar de um livro o que é certo ou errado, o que se pode ou não fazer, desde que se seja coerente com o conjunto da obra. Assim também quando tiramos isso do que alguém nos disse, ou escreveu, ou apenas nos contaram.

      Esse bom senso a que você se refere, nada mais é do que a resposta que lhe agradou. Olhe para a história da gente, da humanidade, e veja quantas vezes o bom senso não errou feio, tão feio, que hoje é chamado de crimes de guerra, genocídio, racismo ou coisa pior.

      Lá no fundo de cada um de nós há o que entendemos por certo ou errado, por bom ou ruim, por verdadeiro ou falso, e sempre a partir do que nos disseram, do que lemos, do que vimos ou ouvimos.

      Você não acha que um livro de regras num jogo em que somos testados é um bom recurso? Não é melhor do que regra nenhuma? Tudo bem que um monte de gente somente seguiria as regras por medo de perder o jogo ou de ser reprovado no teste, mas é só não agirmos assim. Podemos seguir as regras porque o jogo funciona a partir delas, e só.

      Sempre procuramos um sentido em tudo. Ele pode estar em um livro, pode estar em Deus – é, aquele mesmo do livro -, pode estar no acaso, que é o nome que damos a Deus quando dizemos que ele não existe, na Força do pessoal do Star Wars (olha os 48 anos aparecendo aí), no trabalho, nos filhos, nos netos, na morte.

      Você acredita que há um Mistério que sempre vai se manter. E em Deus também. Bom, estamos juntos, ainda que esse Deus seja, ao fim e ao cabo, o Acaso… ou a Força. Be patient, young Jedi!

      Responder

    2. Parabéns Amanda, eu penso tal e qual!
      Add no Instagram para falarmos: lrafaelarodriguesl

      Responder

  30. Costumo dizer que não acredito em religião pq foi inventada pelo homem e o que o homem põe a mão tem falha… Todas têem falhas e querem nos doutrinar. Sou serva de Deus e ele que me sustentou até hj principalmente nas duras batalhas da vida. Acredito em milagres e outras vidas, não somos um ser único. Mas religião não vejo sentido nisso.

    Responder

  31. Cara que post bacana, sempre comento com meus amigos (evangélicos, católicos,ateus), que tenho uma percepção que todas as religiões saíram do mesmo lugar, sendo assim todas seriam corretas, que no final de tudo o objetivo é mesmo. E para seguirmos uma teríamos que desacreditar das outras, onde para mim é quase impossível. Por isso sempre digo, que acredito em algo superior, mas não acredito que apenas uma religião esteja correta.
    Alguns comentários radicais estragam o post, simplesmente pena de pessoas que não conseguem enxergar o mundo além de sua própria ótica, não sabem o que perdem, enfim, parabéns pelo post.

    Responder

    1. Olá, pessoal!

      Eu ia fazer um comentário aqui, mas acho que seria radical e poderia estragar o post, por ser a expressão de uma pessoa que não consegue enxergar o mundo além da sua própria ótica.

      Mas, afinal, como se identificaria um comentário radical?

      E como ele poderia estragar o post? Bom, o post já está publicado, e foi claro ao expressar o objetivo do seu autor com a criação desse espaço.

      E, ainda, como enxergar o mundo à parte da sua própria ótica? É-me generosamente disponibilizado um espaço onde eu posso expressar as minhas ideias dentro dos parâmetros expostos pelo criador do mesmo. Nesses parâmetros não me foi posto que eu não possa externar como eu enxergo o mundo a partir da minha própria ótica. Acredito que o criador desse espaço, no seu post, expressou-se a partir da sua própria ótica. Ou não? E até mesmo o autor do comentário acima, apesar de qualificar como radicais os comentários de quem não consegue enxergar o mundo além da sua própria ótica, acredito que tenha escrito com base na sua própria ótica. Ou não?

      Ou, talvez… sim, os comentários radicais são aqueles que expressam a visão de mundo de alguém a partir da sua própria ótica, mas que é contrária à ótica de quem o leu e, por isso, o qualificou de radical. Acredito que seja isso.

      Bom, mas como eu acabei, de uma forma ou de outra, comentando, ao risco de ser tachado de autor de comentários radicais, deixa eu comentar de fato.

      Eu não sei de onde saíram todas as religiões. De um mesmo lugar, como afirma o autor do comentário, ou de vários lugares, como algum radical olhando a partir da sua própria ótica pode entender.

      Mas vejamos!

      Protestantes crêem que precisam aceitar para a sua vida a Jesus Cristo como único e suficiente salvador para poderem ir para o céu. Essa é a sua crença, um dos pontos da sua religião. Espíritas kardecistas, por outro lado, acreditam que aquela aceitação não tem nada que ver com nada, mas que é necessário que se nasça, morra e renasça um número de vezes que varia de pessoa para pessoa para que se evolua espiritualmente até chegar a um estado elevado que, mais ou menos, corresponderia ao céu dos protestantes. Os católicos romanos, a seu turno, entendem que, além daquela aceitação de Jesus Cristo como único e suficiente salvador, precisam fazer coisas boas, ir às missas, participar da eucaristia, confessar os seus pecados, cumprir as penitências, e, talvez assim, não vão para o inferno, mas para o purgatório por um tempo, ou, mais raramente, para o céu direto. Pra fechar sem deixar o oriente de lado, budistas entendem que precisam nascer, morrer e renascer muitas e muitas vezes, para irem se desapegando desse mundo material e, ao fim, atingir um estado de comunhão com a energia vital de todo o cosmos e não precisar mais nascer e morrer.

      A dúvida que me surge é sobre como esses sistemas de crenças diametralmente opostos, ainda que tenham surgido do mesmo lugar, seja lá que lugar for esse, poderiam ser corretas ao mesmo tempo.

      Não há como, logicamente, cada um desses sistemas expressar a verdade, correspondendo a uma realidade de fato, quando traduzem realidades que se excluem mutuamente.

      Ou pode-se escolher a realidade que se quer seja real?

      Bom, aí o Protestantismo, o Catolicismo, o Espiritismo e o Budismo, em suas múltiplas variantes, além é claro do Islamismo, do Hinduísmo e algum outro -ismo de que me esqueço agora, seriam corretos para aqueles que desejam uma realidade correspondente ao que cada um ensina.

      Aqui, e partir da minha ótica – perdoem-me por isso! estou sendo radical – se estabeleceria a admissão de que todo e qualquer sistema de crenças não passa de um sistema de auto-ajuda à disposição no mercado existencial, sem qualquer correspondência efetiva a uma realidade real – perdoem-me também por isso! estou sendo pleonástico – , ou, em outras palavras, a vida com base em uma religião não passa de uma brincadeira em que se escolhe o brinquedo que melhor lhe apraza, se brinca com ele como se fosse seu, evitando o pensamento de que, quando sua mãe, ou a professora, ou Deus, ou a falência múltipla dos órgãos lhe chamar para “casa”, a brincadeira acaba e o brinquedo fica no playground. Até que a brincadeira acaba mesmo.

      Logicamente, então, ou um sistema de crenças religiosas é radicalmente verdadeiro, independentemente da ótica de quem quer que seja, e corresponde efetivamente a uma realidade real, ou nenhum deles é, e seja qual for o que você escolher, poderá lhe embalar os sonhos durante o tempo do parquinho… e só.

      Fernando, parabéns pelo post, e pela proposta.

      Jackson, ainda bem que o post já está escrito!

      Responder

  32. Sempre fui contra a criação de religiões e o modo que a maioria acredita em Deus,sou neto de muçulmanos e nunca aceitei os rituais e crenças que o homem criou que para mim foi para o seu interesse e não a vontade de Deus como esta na Bíblia. Afirmar que Deus é nossa semelhança é muita arrogância e estupidez, acreditar no que o homem escreveu e seguir cegamente porque a escola e a família assim quiseram que acreditasse só porque está escrito não quer dizer que seja a verdade. Deus está além do estudo, Deus não pertence ao mundo material,Deus nunca terá explicação,Deus é força espiritual, é a sua presença dentro de nós,é tentar guiar as almas perdidas para encontrar a Deus, é combater nossas atitudes e pensamentos ruins pois quem se entrega ao mal nunca terá Deus existente dentro de si,quem desafia o mal perpetuará sua existência eternamente a coragem e a bondade nos faz ser melhores no plano físico e no espiritual mesmo que Deus exista ou não.

    Responder

  33. Boa noite. Sou evangélico mas não sou dogmático. Leio as escrituras e pelo fato de ler, e pensar sobre, não aceito de forma simples, as “verdades” que pra mim, não são verdades. Vocês devem ter notado que coloquei “verdades” entre aspas. Eu não creio plenamente quando dizem que a Bíblia, seja a palavra de Deus. Por quê? Eu mesmo respondo: por algumas passagens que seriam absurdas. Antes de mais nada, quero deixar claro que acredito em Deus mas tenho uma visão diferente do que ele seja e no que o homem o transformou… Uma coisa que me aborrece e muito é tentar conversar com alguém que diz que para entender Deus, não devo ser racional… Para essas pessoas venho dizer que Deus, além de racional, é extremamente matemático-científico pois, se assim não fosse, não haveria padrões que permitem a construção de TUDO O QUE EXISTE. Aliás, Deus escreveu o UNIVERSO através da Matemática e da Química. Vamos algumas passagens que considero criação do autor, ou para trazer o sobrenatural de Deus ou para trazer em evidência algo relacionado ao binômio desobediência-castigo. O Deus Todo Poderoso que te destrói em frações de segundos… Serei aqui audacioso a dizer que personificaram Deus e o transformaram em estandarte nas guerras – “Deus da Guerra”, nos tempos de Paz “Deus do Amor”, no início – “Deus de Abraão” etc… Eu não queria realmente estar aqui escrevendo estas linhas mas estou numa crise de fé e não quero ilusão… Como havia falado vamos a pontos controversos que encontrei lendo as escrituras:
    – Gênesis: Adão e Eva
    – Ao ler os versículos percebe-se que é uma estória que tem o objetivo principal de dizer: seja obediente, obedeça seu senhor. Nada contra obedecer a Deus. Mas, acreditar que Adão e Eva eram os únicos habitantes humanos da Terra, e depois esbarrar na controversa história de Caim ( que conheceu outra mulher em outros arredores.. ) configura uma falta de coerência lógica. Se fosse dito, RAÇA ADÂMICA, ah… teria outro entendimento… Melhor seria que o autor não tentasse inventar uma estória e fosse sincero: “Não sabemos nossas origens: se somos da Terra ou se fomos das estrelas… ou se somos algum fruto de experiência científica dos nossos criadores. Sim, nossos, veja em Gênesis: “Não é bom que o homem seja como nós”… Quem são esse nós?
    Outra falta de coerência: Deus é onipotente, oniciente e onipresente, TUDO SABE…e aí vem… “Então Deus se arrependeu… Deus esqueceu de fulano ou Beltrano…” Como pode? Estamos realmente falando do Deus da criação?
    A estória filosófica de Jó
    Se você parar para ver a construção narrativa de Jó, verá que é uma parábola, como as que Jesus contava, apenas não veio definida tal qual deveria. Em resumo, percebe-se um pouco de mitologia grega: Deus, e Satanás, parecem estar num tabuleiro de xadrez, onde as peças são Jó, e sua família…

    A história de que Jacó brigou com um anjo… De que anjo estamos falando? Como poderia um ser mortal encarar um imortal com toda a sua plenitude e poder? ( considerando que exista…) e leve-se em consideração que Jacó enganou o próprio pai e o irmão, roubando-lhe sua benção de primogenitura…

    Jonas na barriga de um peixe gigante…

    Por essas e outras que hoje tenho minha fé abalada em termos do que se diz ser a palavra de Deus mas não do Deus verdadeiro, criador do universo. A Bíblia hoje, é um instrumento que fortalece os sofistas que dela retiram através da manipulação da fé, os poucos recursos que as “ovelhas” obtém de um pasto cada vez mais escasso. Para finalizar, venho aqui dizer que “Templo é Dinheiro” e que o nome de Jesus, é um ótimo slogan comercial ( me perdoe mestre de Nazareth mas é nisso que te transformaram). Toda grana hoje, gira em nome de Jesus: shows gospel, as “obras do senhor” e por aí vai… Quantos já não estão milionários usando Jesus o Cristo de Deus, como forma de apelar para a fé dos fiéis. Se a Bíblia se resumisse apenas ao evangelho de Jesus Cristo e seus ensinamentos, talvez hoje, o mundo estaria num caminho correto em relação a sua espiritualidade. Eu quero seguir uma doutrina em Deus mas nas verdades, não na ilusão. Só para encerrar, o fato de haver tantos reinos cristãos divididos em denominações distintas, vai com o tempo destruir o reino. O próprio Cristo já alertou sobre esse ponto. O que vejo, são “denominações de Cristo LTDA”, muito parecido com “sou de Pedro”, “sou de Paulo” na igreja primitiva. Só que creio que naquele tempo os ideais, fossem verdadeiros. Hoje, temos o milionários da Fé em Cristo ( seria em Cristo mesmo?) Finalizando: Deus peço que me perdoe por não ter a fé que deveria mas, assim como eu, muitos que não apenas balançam a cabeça e dizem amém, indagam pela verdade de Deus e verdades que nos libertem e nos dê a alegria de ter a certeza plena de que realmente esse Deus cuida de nós e nos protege. Como eu gostaria de ter essa fé e crer plenamente nisso!

    Responder

  34. Tenho 44 anos e só agora que entendi o que eu sou depois que li foi que cheguei a essa conclusão sou exatamente um pouco da história de cada um

    Responder

  35. Bom dia, quero deixar meu comentario e da mesma forma não vou discordar de vcs em nada, apenas vou falar algo que talvez alguns de vcs ainda não compreendem mas quero falar por revelações que o criador me fez ao logo dos meus 36 anos, varios sonhos e avisos antes msm de acontecer comigo, acidentes, prejuizos, premonições e quase morte. Senti na pele muitas coisas e procurei ficar em alguns locais sozinho para meditar e tentar entender pq tudo acontecia porem algo me livrava, hj fala com minha esposa e meu pais e todos creram e sentem a verdade dentro deles. O CRIADOR É UNICO EM TUDO, É DELE QUE VEM NOSSA FORÇA, SENTIMENTOS, COMPREENÇÃO E TUDO MAIS, SOMENTE A ELE DEVEMOS ADORAR, O JESUS QUE VCS CONHECE FOI APENAS UM PROFETA E SÓ, Ñ EXISTE ESSA HISTORIA DE FILHO UNICO, POIS SOMOS TODOS GERAÇÃO DO CRIADOR, JESUS QUE ESSE Ñ É NOME VERDADEIRO ELE VEIO COMO OS OUTRO PRA FALAR A VERDADE E FOI MORTO COMO MUITOS DA EPOCA, Ñ VOU FALAR DA HISTORIA MAS PESQUISEM A FUNDO E VERÃO A VERDADE, USEM A FÉ QUE EXISTE DENTRO DE CADA UM, POIS O MUNDO SE ENGANA POR CONTA DESSES LOBOS EM FORMA HUMANA, A VERDADE ESTA DENTRO E AO SEUS REDOR, RELIGIÃO FOI CRIADA PELOS HOMENS MAS A IGREJA DO CRIADOR SOMOS TODOS NÓS, DENTRO DE NÓS, NOSSA CONCIÊNCIA. A SALVAÇÃO VC JÁ TEM, NASCEMOS COM ELA, SO PRECISAMOS ADMINISTRAR, OU SEJA, FAÇO O BEM E O CAMINHO PARA CASA SERAR REVELADO PARA CADA UM DE NÓS, CADA UM PAGA OS SEUS PECADOS, O QUE VCS VÊEM EM JESUS FOI TUDO ADULTERADO POR ROMA, VEJAM QUE AS POUCAS VERDADE QUE TEM NA BIBLIA O MESSIAS FALOU. ADORE SOMENTE AO” YHWH” PQ ELE ERA IGUAL A TODOS NÓS, MUITA COISA E MENTIRA, PORÉM N QUERO AQUI CRIAR DISCORDIA MAS PROCUREM A VERDADE E SABERAO E ASSIM ABRIRAM O CAMINHO ENTRE O CRIADOR E SUA CRIAÇÃO. FIQUEM COM TODOS NA PAZ DO CRIADOR DO COSMO.

    Responder

  36. Podemos conhecê-lo e reconhecê-lo o tempo inteiro porque Ele está dentro de nós, sobre nós, expresso em todas as criaturas e em todos os detalhes da existência.
    Nos conectando a essa verdade, alimentando um relacionamento sincero de amor e gratidão estaremos ligados a Ele para todo o sempre.
    O nosso Deus é unicamente amor e misericórdia não é o nosso inimigo.
    O nosso objetivo na Terra é conseguirmos nos tornarmos a cada dia pessoas melhores, pois, Deus criou Seres imperfeitos e Ele nos aceita do jeitinho que somos.
    Acredita, o nosso pior inimigo somos nós mesmo e, é contra as nossas fraquezas que nos fazem sofrer e gerar dor é que devemos lutar sempre com a ajuda do nosso Pai Celestial justamente por sermos falhos, frágeis e pecadores Ele nos guiará sempre basta somente crer.

    Responder

  37. eu acredito que somos as mitocôndrias de uma célula em um corpo muito maior que o nosso. E no que será que as mitocôndrias dos nosso corpos acreditam? Que a célula é redonda?

    Responder

  38. cada denominação evangelica ,catolicatem um dono e se comporta como antigamente ,e inteligente pensarmos nisso separei um texto para exemplificar pois todos temos dores e alegrias e queriamos crer que a raça humana foi escolhida pelo amor do criador e nao culpada e sem culpa e mais facil amar aDEUS.Jesus Cristo morreu pelos nossos pecados. Essa é a resposta que normalmente se dá para aqueles que perguntam por que o Filho de Deus terminou seus dias na forma mais infame para um judeu, o patíbulo da cruz, a morte dos amaldiçoados por Deus (Gl 3,13).
    Jesus morreu pelos nossos pecados. Não só pelos nossos, mas também por aqueles homens e mulheres que viveram antes dele e, portanto, não o conheceram e, enfim, por toda a humanidade vindoura. Sendo assim, é inevitável que olhando para o crucifixo, com aquele corpo que foi torturado, ferido, riscado de correntes e coágulos de sangue expostos, aqueles pregos que perfuram a carne, aqueles espinhos presos na cabeça de Jesus, qualquer um se sinta culpado … o Filho de Deus acabou no patíbulo pelos nossos pecados! Corre-se o risco de sentimentos de culpa infiltrarem-se como um tóxico nas profundezas da psiquê humana, tornando-se irreversíveis, a ponto de condicionar permanentemente a existência do indivíduo, como bem sabem psicólogos e psiquiatras, que não param de atender pessoas religiosas devastadas por medos e distúrbios.
    No entanto, basta ler os Evangelhos para ver que as coisas são diferentes. Jesus foi assassinado pelos interesses da casta sacerdotal no poder, aterrorizada pelo medo de perder o domínio sobre o povo e, sobretudo, de ver desaparecer a riqueza acumulada às custas da fé das pessoas.
    A morte de Jesus não se deve apenas a um problema teológico, mas econômico. O Cristo não era um perigo para a teologia (no judaísmo havia muitas correntes espirituais que competiam entre si, mas que eram toleradas pelas autoridades), mas para a economia. O crime pelo qual Jesus foi eliminado foi ter apresentado um Deus completamente diferente daquele imposto pelos líderes religiosos, um Pai que nunca pede a seus filhos, mas que sempre dá.
    A próspera economia do templo de Jerusalém, que o tornava o banco mais forte em todo o Oriente Médio, era sustentada pelos impostos, ofertas e, acima de tudo, pelos rituais para obter, mediante pagamento, o perdão de Deus. Era todo um comércio de animais, de peles, de ofertas em dinheiro, frutos, grãos, tudo para a “honra de Deus” e os bolsos dos sacerdotes, nunca saturados: “cães vorazes: desconhecem a saciedade; são pastores sem entendimento; todos seguem seu próprio caminho, cada um procura vantagem própria” (Is 56, 11).
    Quando os escribas, a mais alta autoridade teológica no país, considerando o ensinamento infalível da Lei, vêem Jesus perdoar os pecados a um paralítico, imediatamente sentenciam: “Este homem está blasfemando!” (Mt 9,3). E os blasfemos devem ser mortos imediatamente (Lv 24,11-14). A indignação dos escribas pode parecer uma defesa da ortodoxia, mas na verdade, visa salvaguardar a economia. Para receber o perdão dos pecados, de fato, o pecador tinha que ir ao templo e oferecer aquilo que o tarifário das culpas prescrevia, de acordo com a categoria do pecado, listando detalhadamente quantas cabras, galinhas, pombos ou outras coisas se deveria oferecer em reparação pela ofensa ao Senhor. E Jesus, pelo contrário, perdoa gratuitamente, sem convidar o perdoado a subir ao templo para levar a sua oferta.
    “Perdoai e sereis perdoados” (Lc 6,37) é, de fato, o chocante anúncio de Jesus: apenas duas palavras que, no entanto, ameaçaram desestabilizar toda a economia de Jerusalém. Para obter o perdão de Deus, não havia mais necessidade de ir ao templo levando ofertas, nem de submeter-se a ritos de purificação, nada disso. Não, bastava perdoar para ser imediatamente perdoado…
    O alarme cresceu, os sumos sacerdotes e escribas, os fariseus e saduceus ficaram todos inquietos, sentiram o chão afundar sob seus pés, até que, em uma reunião dramática do Sinédrio, o mais alto órgão jurídico do país, o sumo sacerdote Caifás tomou a decisão. “Jesus deve ser morto”, e não apenas ele, mas também todos os discípulos porque não era perigoso apenas o Nazareno, mas a sua doutrina, e enquanto houvesse apenas um seguidor capaz de propagá-la, as autoridades não dormiriram tranquilas (“Se deixarmos ele continuar, todos acreditarão nele … “, Jo 11,48). Para convencer o Sinédrio da urgência de eliminar Jesus, Caifás não se referiu a temas teológicos, espirituais; não, o sumo sacerdote conhecia bem os seus, então brutalmente pôs em jogo o que mais estava em seu coração, o interesse: “Não compreendeis que é de vosso interesse que um só homem morra pelo povo e não pereça a nação toda?” (Jo 11,50).
    Jesus não morreu pelos nossos pecados, e muito menos por ser essa a vontade de Deus, mas pela ganância da instituição religiosa, capaz de eliminar qualquer um que interfira em seus interesses, até mesmo o Filho de Deus: “Este é o herdeiro: vamos! Matemo-lo e apoderemo-nos da sua herança” (Mt 21,38). O verdadeiro inimigo de Deus não é o pecado, que o Senhor em sua misericórdia sempre consegue apagar, mas o interesse, a conveniência e a cobiça que tornam os homens completamente refratários à ação divina.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + dezesseis =