Comi carne na Semana Santa

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Não acredito que eu fiz isso, minha mãe vai me matar. Ela sempre dizia que a partir do domingo anterior até a sexta-feira da paixão a gente não poderia comer nenhum tipo de carne como boi, frango, porco, e que a gente só poderia comer frutos do mar e outros alimentos.

Desde muito pequeno fui acostumado a isso, a partir do domingo ela só cozinhava peixes, e de vez em quando tinha até um camarão, que era o dia que eu mais gostava. Então por morar na casa dos meus pais essa sempre foi minha rotina na Semana Santa.

Agora já estou mais crescidinho, e resolvi sair de casa, aluguei um apartamento e comprei um carro usado. Saí de casa por vários motivos, não queria lavar o prato dos outros, e nem queria receber ordens de ninguém, mas o principal era que morando com os meus pais eu não poderia levar mulheres para a minha casa e fazer com elas coisas muito íntimas, se você puder me entender.

Então essa foi minha primeira Semana Santa sozinho, e sem querer acabei comendo um pedaço de frango que tinha deixado na geladeira desde a semana passada. E grande foi o desespero depois que me toquei no que havia acabado de fazer. Como poderia, logo eu, filho da minha mãe que sou, comer um pedaço de carne logo na Semana Santa.

Foi então que percebi como algumas tradições são nada mais que simbolismos, e que não deveriam fazer diferença alguma para deus nenhum. Por exemplo, eu comi frango, e minha mãe sempre me ensinou assim, mas a verdade é que a tradição diz para não comer carne vermelha, e que eu saiba nem frango nem porco são carnes vermelhas.

Além do mais, qual o problema em comer uma carne vermelha? Nenhum, na verdade nem Jesus nem Deus mandou você fazer isso, foi tudo obra da Igreja Católica. É só voltar no tempo como fiz, lá pela Idade Média, a partir do século V d.C. Nessa época a Igreja resolveu proibir o consumo de carne vermelha simplesmente porque para eles fazia alusão ao sangue derramado por Cristo para nos salvar dos pecados, e somente sem saborear a carne é que estaríamos nos unindo ao sacrifício de Cristo na cruz.

A verdade é que a Páscoa era uma festa linda, e não uma coisa sombria centrada na morte como é hoje. O significado de Páscoa é Passagem, como sempre aprendemos na escola, e não a morte. Quer ver como a Páscoa não tem nada de morte? Reproduzo agora um trecho da Bíblia, aquela que vocês tanto apreciam:

“Depois falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: As solenidades do Senhor, que convocareis, serão santas convocações; estas são as minhas solenidades: Seis dias trabalho se fará, mas o sétimo dia será o sábado do descanso, santa convocação; nenhum trabalho fareis; sábado do Senhor é em todas as vossas habitações. Estas são as solenidades do Senhor, as santas convocações, que convocareis ao seu tempo determinado: No mês primeiro, aos catorze do mês, pela tarde, é a páscoa do Senhor. E aos quinze dias deste mês é a festa dos pães ázimos do Senhor; sete dias comereis pães ázimos. No primeiro dia tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis; Mas sete dias oferecereis oferta queimada ao Senhor; ao sétimo dia haverá santa convocação; nenhum trabalho servil fareis. (Levítico 23:1 a 8)

O que significa que a Páscoa era na verdade para comemorar a passagem pelo Mar Vermelho e a fuga do Egito, em nenhum momento é citado a morte e ressurreição de Jesus, e não sou eu que criei isto, está na Bíblia. E mais, na Páscoa judaica eles comiam um cordeiro, que pelo que sei é considerada carne. Na questão dos dias a Páscoa dos judeus cai apenas no pôr do sol do dia 14 do mês de ABIB, é um dia fixo, e pode cair até em plena quarta-feira.

O que a Igreja Católica, e algumas outras que seguem o mesmo esquema, fazem, é glorificar suas ações e criar ações próprias para elas. Já percebeu como o dia de Páscoa é sempre no domingo? E que dia da semana é mesmo o dia sagrado da Igreja Católica?

Enfim, poderíamos passar dias e dias discutindo, mas em todos os casos chegaríamos a mesma conclusão, que você já percebeu o que é. Mas o que importa é que a Semana Santa tem coisas muito interessantes e que me deixam particularmente feliz. São elas o feriado (de um Estado que se diz laico) e os chocolates.

Com informações dos gloriosos Diálogos Políticos e Bíblia Online.

2 Comentários


  1. Olá Fernando desejando uma ótima tarde.
    Por que os católicos não come carne na semana santa?
    Eu também fui acostumada desde pequena e ainda hoje adulta a não comer carne neste período, mas eu acho que isso é fatos da religião.
    Assim como você “percebi como algumas tradições são nada mais que simbolismos”, pois comida é para matar a fome e não comemos para pecar.
    Pelo menos na minha santa ignorância, penso assim e como a minha mãe não está lendo este comentário, ainda posso escrever o que penso, claro se ela soubesse iria lavar a minha boca com sabão e diria que ”eu” estaria pecando e ”eu” a respeito por suas tradições, não só ela, mas quem pensa igual a minha mãe..
    Agradecendo por partilhar e sempre que postar temas tipo estes, me indique, pois adoro prestigiar os amigos. Abraços sempre.
    ClaraSol.

    Responder

    1. Também não entendo qual o problema com a comida. Elas nos alimente, nos faz crescer e fortalece nosso corpo. Então ficar quarenta dias se privando de certos tipos de comida, não seria ser um pouco fraco, ou ainda querer mostrar que é muito forte?
      Outro problema, Clara, é que muitas pessoas não querem discutir religião, como sua mãe, que deve ser uma pessoa boa, mas que não para pra pensar que talvez não seja assim. E por isso muitos de nós não temos liberdade para expressar o que realmente achamos de religião. Porque para alguns isso seria um pecado.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *