A religião correta é a judaica

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Há muito tempo brigamos uns com os outros, tentando descobrir quem está certo. Será que os católicos ou os protestantes? Os espíritas ou os agnósticos? Quem na verdade segue a religião correta, que permitirá que no dia do juízo final eles sejam salvos? E se eu te responder essa questão com uma alternativa que você talvez não goste, e se eu disser a você que a religião correta na verdade é o judaísmo.

Veja bem, você aí provavelmente não é judeu, pois só existem duas formas de se tornar um, ou nascer de uma mãe judia, ou passar por uma conversão demorada e bem complicada. O que quero expressar finalmente é que sua religião é a errada. Deixe-me lhe explicar.

Sabe Jesus, aquele que você tanto fala, pois bem, ele era judeu quando veio aqui na terra, curou o cego, transformou água em vinho, multiplicou o pão e foi crucificado. A sua religião provavelmente fala muito de Jesus, ou ao menos fala sobre a vida dele e sobre um Deus que deu a vida do seu filho para salvar a nossa. Você já parou então para perceber que a maioria das religiões se baseia na história de Jesus, e que na história ele era um judeu? A pergunta que fica é, porque a minha religião diz ser a correta, se ela se baseia na história de alguém que é judeu.

Por que eu deveria seguir os conselhos do catolicismo, se eles na verdade são adaptações do judaísmo? Peraê, mas a lei de Deus não é só uma, por que é que minha religião adapta o que ela acha conveniente, e deixa de fora o que não é interessante. Por que será que em algumas religiões as mulheres são obrigadas a usar saia, e em outras não há nada disso? A lei da Bíblia não é uma só, porque existem diferenças.

Eu poderia ficar várias horas fazendo você encontrar uma resposta para essas perguntas, mas eu já tenho uma na ponta língua. A verdade é que não existe religião correta, todas na verdade estão corretas. E não sou eu que digo, tá na Bíblia, e eu reproduzo abaixo para depois explicar.

Eis que dias vêm, diz o Senhor, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; porque eles invalidaram a minha aliança apesar de eu os haver desposado, diz o Senhor. Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. E não ensinará mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o Senhor; porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados. (Jeremias 31:31-34)

Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir. (Mateus 5:17). Chamando ‘nova’ esta aliança, ele tornou antiquada a primeira; e o que se torna antiquado e envelhecido, está a ponto de desaparecer. (Hebreus 8:13)

Basicamente a jornada de Jesus consistia em mudar o modo da religião, ele simplesmente veio mudar a história. A partir de agora a religião não seria ensinada por nós mortais, e sim pelo próprio Deus, ele seria o próprio a ensinar a religião a cada um de nós. Sendo assim não existe religião correta ou errada, porque o certo seria apenas seguir a Deus, o homem não teria que fazer aliança alguma (instituições religiosas). Mas como nós somos desobedientes, criamos diversas religiões que de fato são apenas um modo, e não o único, de chegar até Deus.

Aqui não quero colocar se Deus realmente existe ou não, minha intenção é apenas fazer você pensar. Será mesmo que não podemos contestar? E nem adianta reclamar, tá na Bíblia, alguém algum dia disse até que se bem usada a Bíblia torna-se a maior arma contra a religião. Eu acho que ele estava certo.

Com informações do Got Questions e do Bíblia Online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *